dicas

bloga8, Make me Craft, Opinião|Bea, Regresso às aulas

6 dicas para um regresso às aulas sem complicações

Todos os anos, quando era criança e adolescente, era a histeria total com o Regresso às Aulas: queria comprar as canetas de gel com brilhantes, os cadernos de argolas com risquinhas fininhas… e as borrachas? Aquelas imaculadas borrachas branquinhas eram mesmo as meninas bonitas dos olhinhos da mamã.

Mas vou-vos contar um segredo: ainda hoje, quando chega esta altura, compro uma ou duas coisinhas para me agradar a alma. E, claro, com os miúdos a precisar destas coisas, é mais fácil esconder estes pequenos caprichos. 🙂

Depois de umas férias relaxantes com areia a entrar por todos os orifícios do corpo derivado das constantes construções marinhas dos miúdos, dos tímpanos desgastados pela quantidade de vezes que chamam “oh maaaaannhhheeeee!” e da garganta um tanto arranhada pelas interjeições “não faças isso”, “não batas no teu irmão” “sai da água!”. Chega o tempo de os despachar para a escola. Para não entrarem em stress pós férias, ficam aqui algumas dicas para este novo ano letivo. continuar a ler

bloga8

[psicologia] Dicas de vínculo para pais sem tempo

Quantos de nós já desejou ter mais tempo para estarmos com os filhos? Mas estarmos MESMO de corpo, coração, alma, cabeça, sem pensarmos em mais nada, apenas usufruirmos do milagre que criamos e da bênção que temos?

Não deixam saudades aquelas alturas, depois da escola e do nosso trabalho, em que chegamos a casa e ainda temos mil-e-uma coisas para tratar, e o que conseguimos ouvir é um constante “mamã, mãe, mami, oh mãenheeee”…

Quantas vezes lhes respondemos, sem olhar, “já vou” (e nunca mais vamos), “Agora não posso!”, “Pára de me chamar!” e o típico “Vais-me gastar o nome!!!”. Pois é. Estamos no mesmo espaço físico que eles, saturamo-nos de ter de dividir a atenção, mas, em rigor, não estamos MESMO com os nossos filhos… e só quando os filhos adormecem e nós terminamos as tarefas daquele dia infindável, é que pensamos: “céus, como está tão crescido(a)… e nem me lembro da ultima vez que o(a) peguei ao colo”. “Hoje nem tive tempo para ele(a)”…

continuar a ler