bloga8, Testemunhos reais

[testemunho] Era uma vez… a família Salta

Em 1956, a minha mãe deu à luz uma menina….na freguesia de S. Sebastião da Pedreira, Lisboa, no mês de Maio, mês das flores e de Maria e no dia 1, Dia do Trabalhador (altura sem comemoração em Portugal). Tinha pouco mais que 3Kg…..dia igual a tantos outros, menos para mim e meus pais…

Nasci dando um pouco de cor ao negro que a morte provocou levando a minha avó materna 2 meses antes. Uma morte prematura…minha avó era mais nova que eu sou hoje.

A tristeza deu lugar à felicidade, mesmo que descorada, na vida dos meus pais. Meu pai desejava uma menina e que nascesse em Maio. Lá lhe fiz a vontade.

Foto 1

Fui registada com o nome da minha avó materna, Maria do Resgate, que tinha falecido 2 meses antes.

Fui a terceira filha…a primeira, minha irmã Gabriela da Graça, que nunca conheci faleceu com 10 meses de idade. Três anos mais tarde nasceu o meu irmão, António José. Cerca de ano e meio após o meu nascimento chegou a minha irmã mais nova, Carla Maria. continuar a ler

bloga8, terapia da fala

[terapia da fala] Sou um bebé de palavra! #2

Como estimular o seu bebé a falar Na última crónica falamos resumidamente das etapas do desenvolvimento da fala e da linguagem, e no quão magnificamente a natureza do bebé está programada: tudo acontece no tempo devido, sem pressas ou pressões, da experimentação à manipulação de sons com o objetivo de chegar ao outro. Este processo é inerente ao seu bebé,…continuar a ler
bloga8, Opinião|Bea, Parentalidade

|organização com crianças|#1

Eu confesso que sou naturalmente desorganizada. Ou melhor, sou organizada na confusão. Que é bem diferente! Uma pessoa desorganizada não sabe o que tem, onde tem e, normalmente, vive num caos. Depois há aquele tipo de pessoa que arruma tudo e não sabe onde põe nada (o caso do meu marido!). E depois o tipo de pessoa – o meu- que pode não ter um sítio específico para as meias xpto, para os clips aos corações e para os pensos higiénicos diários sem-abas-com-superabsorção-e-mais-não-sei-o-quê, mas sabe exatamente onde está tudo.

Depois de ser mãe pela primeira vez continuei um registo deixa-andar, só tinha um filho, que era calmo, e não tínhamos muitas rotinas pré-definidas.

continuar a ler