Parentalidade

Opinião do Especialista, Parentalidade, psicologia

[psicologia] Os Valores em Parentalidade Consciente

Já aqui no se abordou o tema da parentalidade consciente – que podem ler ou reler aqui. Nele, mencionou-se que “A prática de uma parentalidade consciente, necessita de ser sustentada em valores sólidos.” Tal como uma casa se sustenta em pilares, também a parentalidade consciente se sustenta em valores basilares, que sustentam toda a nossa actuação como pais e educadores.

O texto de hoje, retoma o tema da parentalidade consciente, identificando a importância dos valores. continuar a ler

bloga8, Opinião|Bea, Parentalidade

Que futuros adultos estamos a criar hoje?

O futuro – aquilo que apanha sempre o presente. Esta frase era-me dita por um dos meus professores preferidos, quase todos os dias. Eu fui uma afortunada pois quase todos os meus professores pensavam primeiro na matéria humana que tinham dentro de quatro paredes e só depois na matéria programática que um senhor engravatado de Lisboa teimava que todos soubéssemos com os mesmos timmings.

Detestava algumas disciplinas da escola, nomeadamente Francês e Educação Visual – e, talvez por consequência, eram as únicas que não tinha assim muito jeito.

A questão da escola, como falei aqui não é algo que me preocupe muito. Ou melhor, o excelente aproveitamento dos meus filhos, não é algo que me preocupe. Preocupa-me sim, a escola estar cada vez está mais desajustada à realidade atual das crianças. É uma escola inspirada no século XIX, com professores do séc XX para crianças do século XXI. continuar a ler

bloga8, Opinião|Bea, Parentalidade

Parentalidade positiva? E que tal começarmos por um relacionamento positivo?

Quando escrevi o texto sobre o machismo com as mães, nunca pensei em debater este assunto do relacionamento positivo. Na minha cabeça, não fazia sentido de outra forma, mas, pelas mensagens que recebi e pelas preocupações que senti no encontro das Mães do Porto (Mom Date – Porto), achei que trazer este tema era mais do que justificado.

Eu e o Pedro discordámos muitas vezes quanto à educação dos nossos filhos. Ele foi educado de uma forma e eu de outra e ambos temos visões diferentes do que seria a “educação” perfeita dos nossos filhos. Muitas vezes ele tem razão e noutras sou eu que a tenho (mas mais que ele, claro!!). continuar a ler

bloga8, Opinião|Bea, Parentalidade

Será que o meu filho está preparado para a escola primária?

Todos os dias me fala no “piso superior”. Todos os dias me fala na “escola primária”, nas letras e nos números que vai aprender. Todos os dias me pergunta quando é que vai poder mudar-se para a escola a sério.

Confesso que estou com medo. Em primeiro lugar, estou com medo desta ansiedade. Estou com medo que apanhe uma frustração quando perceber que é muito mais divertido ficar na pré-escola. Em segundo, estou com medo que não desfrute o suficiente das brincadeiras, dos recortes e das pinturas que ainda tem para fazer apenas porque quer que o tempo passe demasiado depressa.

Estou apavorada por não saber se ele é capaz de estar concentrado nas aulas. Estou apavorada por não ter a certeza de que ele será realizado. Já o disse aqui que não me importo se ele não for um aluno brilhante. Sinceramente, neste momento é o que menos me importa.

continuar a ler

bloga8, Opinião|Bea, Parentalidade

Mãe, onde ficam os teus filhos?

Lembrei-me de escrever sobre este tema numa conversa telefónica com um amigo que ainda não tem filhos. Não sei porque é que as pessoas que não têm filhos fazem julgamentos instantâneos sobre a vida e os filhos dos outros – é a chamada santa ignorância.

Conversávamos sobre a minha ausência de casa durante o período pós-jantar para umas reuniões de alguns projetos que faço parte e na qual surgiu a típica pergunta:

Onde ficam os teus filhos?

continuar a ler

montessori, Parentalidade

[montessori] Educação para a Paz

No outro dia, numa Escola Montessori, participava na celebração da 5ª volta ao sol de um menino. Este contava que aos 3 anos tinhas mudado de escola, estava muito feliz nesta escola referindo que o que mais gostou nesta mudança, foi que aqui ninguém lhe batia, tinha imensas atividades interessantes e que podia escolher com o que queria trabalhar.

Achei delicioso, mas fiquei em choque quando ouvi “gosto muito de estar aqui porque ninguém me bate…”. Realmente como é que esperamos que uma criança goste da escola, se entusiasme por aprender, se a cada passo tem estar a olhar por cima do ombro a ver se alguém lhe vai bater… é claramente a lei da sobrevivência, e na pirâmide das necessidades se a segurança não está garantida, como é que posso aspirar a outros patamares? continuar a ler

bea recomenda, Crianças, Parentalidade, um livro para ti

[livro da semana] #GeraçãoCordão – a geração que não desliga + Desafio

Todos nós desde o primeiro momento da vida uterina somos alimentados por um cordão - o umbilical. Mal se nasce, e se começa a respirar sozinho, esse cordão é cortado. E passamos a ser um ser independente de tudo. Passamos a ser só nossos. Claro que precisamos de alguém que nos alimente, que cuide de nós, que nos abrace, que…continuar a ler
bloga8, Parentalidade, psicologia

[psicologia] Os pais sabem melhor!

Hoje, conto-vos uma história.

Na realidade, é mais um pedacinho de histórias de vida de dois casais, pais de crianças com particularidades.

Para começar, deixem que vos diga: todas as crianças têm as suas particularidades! Apenas umas sobressaem mais do que as outras. Apenas umas se integram na sociedade com maior ou menor facilidade. Algumas podem precisar de apoio adicional e quanto mais precoce for a intervenção, mais saudável e facilitado se torna o crescimento e o desenvolvimento da criança. E o crescimento e o desenvolvimento dos seus pais (como pais!), também. continuar a ler

bloga8, Parentalidade, psicologia

[psicologia] Parentalidade Consciente

Quando se fala ou pesquisa sobre parentalidade, surgem inúmeros resultados sobre estilos parentais, sendo os mais comuns o permissivo, o democrático e o autoritário – podem variar as nomenclaturas, mas a caracterização costuma ser dentro desta trilogia.

Não obstante, se observarmos, na prática, o dia-a-dia dos pais, eles certamente reconhecerão que não têm um estilo definido e oscilam no seu estilo parental consoante as situações, contextos e emoções. Porquê? Porque a parentalidade é uma função que não requer experiência prévia na área, nem habilitações académicas que certifiquem os pais a saber sê-lo, de acordo com um determinado molde pré-definido de “pais perfeitos – filhos perfeitos”.

continuar a ler

montessori, Parentalidade

[montessori] Montessori, como ajuda a criança no dia-a-dia?

Quando conheci a Pedagogia Montessori, comecei a OBSERVAR, tentando perceber de que forma poderia proporcionar um mundo rico, organizado, bonito, adequado aos interesses e necessidades de desenvolvimento da minha filha.

Como é que eu poderia ser uma ajuda à aprendizagem e não um obstáculo?

O que é que ela me estava a pedir naquele momento?

De que forma poderia adaptar o seu entorno para que esta fosse tudo o que podia ser? continuar a ler