Opinião|Bea

Opinião|Bea

a ti, enfermeiro

Querido enfermeiro,

Desde cedo soube respeitar-te, não fosses tu o primeiro a estar sempre lá. Foste o primeiro a colher-me o sangue para as análises, foste tu que me seguraste quando me coloquei de pé depois da minha cirurgia. Foste tu que me administraste a medicação para me tirar a dor, e foste tu que eu vi, logo depois de acordar da anestesia.

continuar a ler

bloga8, Crianças, Opinião|Bea, Parentalidade

“sou um menino agitado”

Era terça-Feira pelas cinco e trinta e cinco e chegaste a nossa casa um pouco aborrecido. Pedi para me ajudares a encontrar a chave do carro para irmos aos correios que fechavam às seis.
Sem resmungar, encontras as chaves e disseste-me com um sorriso rasgado: “estás a ver mãe, sou mesmo bom a encontrar as tuas coisas perdidas”. E és Realmente, és bom a encontrar coisas, como o teu irmão escondido na porta do armário ou até os comandos da consola que eu “arrumo” para não os veres.

continuar a ler

bloga8, Gravidez e Pós-Parto, Opinião|Bea, Parentalidade

avós, querem ajudar?

Quando nasce um bebé nasce uma nova mãe. É daqueles clichés que ouvimos na gravidez e, nomeadamente este, não poderia estar mais certo. Cada gravidez é única. E em cada uma delas nasce uma nova mãe. Do meu primeiro parto, nasceu a mãe do Pedro e do segundo, nasceu a mãe do Miguel. Felizmente, tive muita ajuda dos avós dos meus filhos neste primeiro início da maternidade de cada um deles e isso fez com que algumas coisas corressem bem melhor do que se estivesse sozinha.

continuar a ler
bloga8, Opinião|Bea

o silêncio das inocentes

Há dias, quando lia uma notícia que uma menina de 12 anos tinha ficado grávida de um presumível homem adulto, vi imensos comentários a culpabilizar a criança: que com aquela idade (reforço que tinha apenas 12 anos) já sabia mais que muitas mulheres adultas e que, mentiu, aquando o seu envolvimento com o homem, dizendo que tinha 16 anos. Acontece que, quando o homem soube da sua idade real, continuou a praticar os atos sexuais, inclusivé engravidou a criança.

Eu até posso acreditar que muitas meninas de 12 anos sejam maduras e consigam parecer mais velhas e que, em alguns casos, até tenham conhecimentos da sexualidade que consigam alterar a verdade dos factos para um homem menos astuto e inteligente e até consigo entender que, como há muito homem desesperado, a invenção ou ocultação da idade perante a menor, tenha sido um fator atenuante no início da relação, mas olhando para o caso com mais atenção, reparo em dois ou três aspetos que me fazem refletir:

continuar a ler

Opinião|Bea

mulheres apoiam mulheres

As minhas gajas. Começamos a partilhar os nossos conhecimentos por causa de um projeto em comum sobre as mulheres. Os vários encontros que fizemos foi por causa desse projeto. Fizemos várias fotos, graças ao João. O projeto não andou por causa de vários problemas e nós as quatro já não nos reunimos, juntas, há mais de um ano. Vou-me encontrando com uma ou com outra, pontualmente por diversas causas, mas nunca mais estivemos as quatro. Mas mesmo assim, continuamos a suportar-nos, umas às outras nos mais variados projetos individuais. continuar a ler

Opinião|Bea

praxe social

Quando olho para o espelho, sinto muitas vezes medo. Não da velhice, que ainda não me preocupo com essas coisas, mas com o futuro do mundo que deixo para os meus filhos. Infelizmente, a minha preocupação não é o trabalho, não é a larga produção de robots mas sim, a massiva e impulsiva estupidificação humana. E esta semana, foi recheada de exemplos.

continuar a ler

bea recomenda, bloga8, Make me Craft, Opinião|Bea

Quais são as melhores fraldas?

Depois de ter eleito as melhores toalhitas num miniteste independente, vários foram os pedidos para que fizesse um estudo parecido para as fraldas descartáveis. Era inevitável com a minha veia curiosa e o meu lado cientista que aceitasse o desafio. Mas por onde começar? Faço testes a quê? São tantas as variáveis que podemos ter numa fralda, como o ajuste, as reações alérgicas aos produtos, entre outras, que só testando uns 100 bebés podia ter a certeza que o meu teste era viável.

Como já não tenho filhos em fase de usar fraldas e nem gostaria de recorrer a parâmetros um pouco subjetivos como os que mencionei em cima, estabeleci outros critérios que possam a ajudar na escolha da fralda adequada para cada família sem olhar para os casos especiais.  continuar a ler

Opinião|Bea

Ser pessoa por inteiro

Foi no dia da Família que encontraram na minha cabeça o meu primeiro cabelo branco. Nunca tive, nem tenho medo da velhice, muito pelo contrário, mas o que é certo é que aquele fio descolorado da minha cabeça me fez pensar no sentido da minha vida.
Há dias partilharam comigo uma citação de um livro que para além de me recordar, sempre, aquele maldito cabelo me fez concordar que devemos ser uma pessoa por inteiro.
Normalmente, depois da maternidade, as mães tendem em esquecer-se de si próprias, o que é normal e adequado à nova dinâmica familiar. Há prioridades para cumprir, banhos e mamadas para dar, consultas de pediatria de 10 em 10 dias para pesar o bebé e aqueles 10 minutos de repouso são de mama de fora com o bebé a deglutir.

continuar a ler