Autor: Bea

Bloga8, Bloga8 recomenda, EcoFamily, Moda

|uma gota de gel de banho para todo o duche|

Vou-vos contar um segredo: eu não sou muito de emprenhar pelos ouvidos e quando me começam a dizer maravilhas disto ou daquilo torno-me como o São Tomé – ver para crer.

Isso aconteceu com este novo Gel de Banho da Yves Rocher. Começaram a surgir uns mexericos que este frasquinho de Gel de Duche concentrado iria revolucionar o mercado pois era possível com apenas 100mL tomar cerca de 40 duches. Comecei logo a esboçar a minha b*tch face de tão incrédula que estava.

Decidi experimentar. continuar a ler

Bloga8 recomenda, Crianças, Parentalidade, um livro para ti

[livro da semana] #GeraçãoCordão – a geração que não desliga + Desafio

Todos nós desde o primeiro momento da vida uterina somos alimentados por um cordão - o umbilical. Mal se nasce, e se começa a respirar sozinho, esse cordão é cortado. E passamos a ser um ser independente de tudo. Passamos a ser só nossos. Claro que precisamos de alguém que nos alimente, que cuide de nós, que nos abrace, que…continuar a ler
Bloga8

|o melhor dia da vida do meu filho|

O Pedro na turma da escolinha tem muitos meninos filhos de jogadores de futebol profissional e desde cedo que sente o bichinho do futebol, influenciado, claro, pelos amiguinhos. O que é certo é que sabe o plantel completo do Benfica, sabe alguns jogadores do Porto, do Sporting, do Vitória, do Braga, etc… Mas tem uma obsessão por guarda-redes. Não sei se é por o colocarem à baliza, se é por ele gostar de defender, ou apenas porque acha os guarda-redes mais importantes no jogo. O que é certo é que ele, benfiquista, idolatra um guarda redes em particular – o Ederson Moraes (agora a jogar pelo Manchester City).

Sempre que via uma camisola com o número dele, perguntava se era o Ederson. Quando ele defendia uma bola, dizia: “estás a ver mamã ele é mesmo bom jogador”! Até que me pediu uma coisa impossível de concretizar – ele queria que o Ederson lhe desse as luvas dele. continuar a ler

Bloga8, Crianças, EcoFamily

|vamos acabar com as picadas dos mosquitos?|

Quando vamos de férias para um local quente, há uma série de preocupações que saltam logo à vista: protetor solar, chapéus, roupa fresca e replente de insectos. É que estes pequeninos bichinhos adoram atacar os meus miúdos quando dormem.

O problema era que, como muitos de vocês já sabem, sou uma esquecida de primeira – conclusão – esquecia de aplicar o replente e os miúdos acabavam por ser mordidos na mesma.

continuar a ler

Teste ao brinquedo

[teste ao brinquedo] Globo Exploramundo – Clementoni

Normalmente durante as épocas festivas, sejam elas o aniversário dos miúdos, Natal ou Páscoa, fico sempre com o mesmo sentimento em relação aos brinquedos – quantos menos, melhor. Acho que hoje em dia as crianças são afortunadas em relação a esta matéria e depois de meia hora a brincarem com o mesmo brinquedo encostam-no.

O mesmo não aconteceu com este Globo da Clementoni. Quando os miúdos o receberam (está a fazer hoje 2 semanas) ficaram excitados e o mesmo ainda permanece na mesinha de cabeceira deles.  continuar a ler

Opinião|Bea

|o meu casamento foi boa ideia porque…|

Hoje deparei-me com o post da Joana Gama do blog “A mãe é que sabe” sobre o seu novo estado civil – divorciado e decidi escrever sobre as boas coisas de estar casada.

Atenção: Claro que não estou a criticar quem se divorcia – por amor de Deus! – quero é que as pessoas sejam é felizes. Se o divorcio implicar um bem estar para todos, GO FOR IT. Agora, eu (ainda) gosto de estar casada, logo, tinha mesmo mesmo mesmo de fazer esta reflexão. continuar a ler

Opinião|Bea

|os seis avós dos miúdos|

Se há coisa que me recordo da minha primeira infância são os meus avós. Como apenas fui para o jardim-escola com três/quatro anos, lembro-me de brincar com eles, de ir ao mercado municipal buscar o peixe e os legumes, lembro-me de ir ao talho escolher a carne e, por incrível que pareça, ainda hoje algumas das peças de carne que compro são as mesmas e com as mesmas indicações que a minha avó na altura dizia.

Lembro-me de lanchar com eles, de ir aos baloiços e da minha avó “pegar” com o meu avô. E rirem-se muito, muito! continuar a ler