uma mão cheia de miguel maria

Meu amor mais pequenino, estás grande e já usas todos os dedos da tua mão direita para dizer quantos anos tens.

É incrível como me consegues surpreender a cada dia que passa: com os teus beijinhos repenicados, com a tua vozinha doce a chamar “a minha mamã” ou até no teu choro sem sentido que acalma logo quando teclo a tua barriga na bem sucedida tentativa de te fazer cócegas.

Gostas imenso de animais, mas a tua verdadeira perdição é o espaço. Adoras saber mais sobre o sistema solar, sobre as estrelas e sobre os extraterrestres que teimas que existem e que insistes em querer encontrar nos livros.

Adoras ir para a escola e gostas muito dos teus colegas. O teu melhor amigo é o Rodrigo e deliraste, quando no teu aniversário, ele te apareceu de surpresa lá em casa.

Mas o teu amor, o teu verdadeiro amor, é o teu irmão. É ele que te atura as birras, é ele que te convence a ir tomar banho, é ele que te convence também a fazer trocas prejudiciais para ti. Mas também é ele que te arranca a gargalhada mais gostosa do mundo.

Foram os cinco anos mais felizes de sempre. E como diz a música “Olha lá, já se passaram alguns anos nem sequer vinhas nos meus planos, saíste-me a sorte grande.”

Amo-te muito,

a tua mamã

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.