a galope

Já há algum tempo que os meus pequenos me pediam para andar de cavalo, mas, por um ou outro motivo, esse pedido ia ficando esquecido nas atividades que vamos desenvolvendo.

Numa certa manhã, acordamos e fomos conhecer o Pony Club do Porto.

O Pony Club do Porto é uma instituição particular sem fins lucrativos que promove o acesso a práticas desportivas e terapeuticas de forma abrangente e inclusiva, sem fronteiras de ordem social ou económica. Sendo um dos principais focos, as aulas de equitação terapêutica.

A equitação terapêutica permite a reabilitação física e psicológica, sendo estudado e reconhecido o seu imenso benefício no tratamento de problemas de desenvolvimento psicomotor, desordens emocionais e de dependências. Simultaneamente, é uma atividade que estimula a autoestima e a confiança. 

Um benefício que inclui, indiretamente, familiares e amigos de cada indivíduo em terapia.

– Pony Club do Porto

E realmente, depois de observar uma adolescente em terapia, reparei em certos pormenores que a Célia (terapeuta da fala) e a Patrícia nos contaram previamente, como a postura no cavalo, a forma de interação e a autodisciplina que a aluna demonstrava ao se coordenar com o cavalo.

Mas o Pony tem muito mais para oferecer à comunidade: todos podem aprender a andar a cavalo, desde a criança mais pequenina, com os póneis, quer os adultos com cavalos.

Os miúdos e eu fomos experimentar e, mesmo depois do meu medo inicial, já voltamos a montar mais vezes. Os meninos, sobretudo o Pedro, não teve qualquer receio. O Lucky (pónei) era tão meiguinho que até lhe deu confiança para tirar as mãos das rédeas e andar em modo aviãozinho. Já comigo e com o Miguel a conversa foi outra.

Apesar de não ter oferecido qualquer resistência para subir para o pónei (se oferecesse eu não o “obrigava” nem condicionava a andar), quando percebeu que aquele mini cavalo não era de todo igual aos dos carroceis, ficou um pouco medroso mas nunca me pediu para sair do cavalo e até, no final, deu um abraço caloroso ao pequeno cavalo.

Comigo, a história também teve um final feliz já que montei, andei e ainda fiz algum trote com o meu cavalo branco (que não era do Napoleão).

Contudo, com esta experiência fiz questão de reforçar duas coisas com os meninos: o primeiro que devemos ser responsáveis pelos animais, e que são seres vivos como os humanos e por isso, precisam de ser alimentados e cuidados. Em segundo lugar, reforcei a gratidão, dizendo a cada um deles, para acariciar o cavalo quando o montassem e quando saíam. Dizendo sempre: obrigada por me alegrares este bocadinho.

Não podia acabar sem deixar um beijinho grande à Célia, à Patricia e à outra menina que me esqueci o nome entretanto (#shameonme) pela paciência comigo e com os meus filhos e por respeitarem os nossos tempos de adaptação ao bonito ser vivo.

O Pony fica localizado no Porto, perto da zona das Antas e tem preços suuppeeer acessíveis para quem quer ter uma experiência espetacular com um dos melhores amigos do Homem – o cavalo.

Fotografia: NVStudio

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.