a liberdade da escolha. assine pelos bebés.

Já deixei de amamentar há cerca de dois anos. Amamentei cada um dos meus filhos até aos dois anos e foi das coisas que mais me deixa saudades do tempo em que os meus miúdos eram bebés.

Lembro que houve tempos difíceis e de privação do sono. Más pegas no início e algum desespero com as constantes e ininterruptas mamadas que eles faziam.

Mas tenho saudades daqueles momentos que eram só nossos. Do cheirinho a bebé colado a mim, e da distância do beijinho.

Amamentei em exclusivo até aos seis meses, o que contribuiu para essa continuidade foi o facto de ser “stay home mom”. Raramente conseguia fazer extração de leite e, se tivesse de ir trabalhar logo aos 5 meses, provavelmente seria obrigada a introduzir suplementação ou então a alimentação complementar.

Acho que as leis de um país devem acompanhar o desejo dos seus cidadãos e, por consequência, as necessidades destes.

Sendo a OMS, um organismo mundialmente respeitado e que, em caso de epidemias, surtos ou doenças mais nefastas, é tido em extrema importância, porque é que nestes casos, em que a saúde de um recém-nascido é vital, não é tida em consideração?

É urgente tomarmos consciência do que todos nós podemos fazer.

É urgente, todos nós, com filhos e sem filhos, podermos possibilitar a todos os bebés e suas famílias, uma integração no mundo, mais digna e de escolha livre.

Sendo assim, a licença parental (a ser gozada por mãe ou pai) deve ter em consideração a recomendação e assim, possibilitar a amamentação, ou então, o aleitamento exclusivo até aos 6 meses.

Com estas e outras preocupações a Carina, uma amiga que a maternidade e a blogosfera me trouxe, decidiu levar uma petição pública ao parlamento português há cerca de três anos, de forma a permitir o alargamento da licença parental.

Mas, como quase tudo o que acontece na política deste país fica em “águas de bacalhau” nenhum partido político aceitou receber de bom grado a proposta e por isso as águas ficaram paradas. Insatisfeita com esse desfecho, decidiu, juntamente com uma equipa de consultores da área médica, familiar e do direito, legislar por conta própria – ou como o nome pomposo diz – através da iniciativa legislativa do cidadão.

Mas afinal o que é isso?

Esta iniciativa permite que a lei seja automaticamente votada em Assembleia da República, e, ao contrário da petição não fica pendente de cunho político, para tal.

Como posso ajudar?

Acha que é importante para os bebés e para as Famílias que a licença parental inicial seja de 6 meses pagos a 100%? Sim, nós também. Por isso basta clicar no link e assinar a petição. Mais de 12 mil pessoas já assinaram. Precisamos de 20 mil.

https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=por6mesesdelicenca

Peço que partilhe e que assine mesmo que não venha a usufruir deles. Todos nós devemos de lutar por direitos uns dos outros. Só assim se faz a democracia e a liberdade.

Que este dia seja reflexo de um verdadeiro símbolo da democracia. Liberdade, sempre!

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.