avós, querem ajudar?

Quando nasce um bebé nasce uma nova mãe. É daqueles clichés que ouvimos na gravidez e, nomeadamente este, não poderia estar mais certo. Cada gravidez é única. E em cada uma delas nasce uma nova mãe. Do meu primeiro parto, nasceu a mãe do Pedro e do segundo, nasceu a mãe do Miguel. Felizmente, tive muita ajuda dos avós dos meus filhos neste primeiro início da maternidade de cada um deles e isso fez com que algumas coisas corressem bem melhor do que se estivesse sozinha.

Outro dos clichés que ouvimos por aí, é que é preciso uma aldeia para a criança crescer saudável, e como acredito também nesta grande verdade, no início da vida deste rebento novo da família, deixo aqui algumas dicas para os avós ajudarem os filhos e os seus netos.

Escute a nova mãe

Coloquei este em primeiro lugar, porque é o essencial. A mãe passou por 40 semanas de mudanças corporais e emocionais, passou por um parto e está completamente frágil. Uma das grandes ajudas que pode dar, é ouvir. As queixas, as dúvidas mas sem emitir julgamentos ou opiniões. Apenas ser o ouvido e colo que ela também precisa.  Por vezes um sorriso, um elogio dirigido à recém mamã ou um abraço pode melhorar em muito a auto-estima dela. Mãe feliz, bebé feliz.

Ofereça ajuda

Privação de sono, perturbação nos horários das refeições, perturbação hormonal e emocional são alguns dos problemas das novas famílias. Apesar das rotinas ajudarem a equilibrar isto, há sempre alguma coisa que falta. Ofereça ajuda para algumas tarefas básicas como ir à farmácia, comprar fraldas ou ir aos correios. Facilitará toda a dinâmica do casal. Se viver longe da nova família, pode sempre optar por perguntar se precisam de alguma coisa ou até sugerir contratar uma doula de pós-parto (procure A Puérpera no Facebook)

Ajude com a casa e refeições da família

O caos. Normalmente quando nasce um bebé toda a vida vira um caos. A prioridade passa a ser aquele mini ser e todas as outras tarefas (incluí muitas vezes tomar banho) passa para segundo e terceiro plano. E que tal ajudar a preparar um jantar para a família ou pedir para entregar na casa dos recém papás? A roupa acumula e em vez de um par de calças para engomar, agora há babygrows, bodys, casacos, mantas lençóis, fraldas. Ajudar a engomar a roupa também é uma opção! Mas não se esqueça, pergunte primeiro à/ao sua/seu filha/filho primeiro!

Informe-se sobre os novos desafios da maternidade e as reais necessidades dos bebés

A maternidade de há 20 ou 30 anos não é a mesma que hoje em dia. Os desafios são diferentes e as necessidades dos bebés foram também aperfeiçoadas. Por isso, estejam bem informados quando forem avós. Modéstia à parte, este blog tem informações bastante válidas, escritas por especialistas certificados nas diferentes áreas.

Ajude no processo da amamentação

Se a mãe optar por amamentar, pode sempre ajudar neste processo. Não interferir na hora da mamada e frases que inspirem e motivem a recém mamã pode ser um grande contributo para o sucesso. Caso a mãe opte por não amamentar, mesmo que não concorde, respeite e suporte esta opção.

Evite dar palpites e opiniões sem que seja pedido

Este ponto é o mais sensível de todos. Muitas mamãs queixam-se dos inúmeros palpites que recebem mal o bebé nasce, e isso, deixa-as confusas, perdidas e inseguras. Por isso, o melhor que se deve fazer é respeitar o seu espaço e evitar dar grandes opiniões sobre a forma como a mãe faz as coisas. A mesma coisa se passa muitas vezes com o pai (e que normalmente não se fala nisso) – a insegurança que se passa para o pai pode torná-lo mais vulnerável e frustrá-lo o que depois pode resultar na anulação enquanto cuidador. Ou seja, se dizemos algo menos positivo sobre algum procedimento que o pai faz ou fazemos coisas por ele, como mudar a fralda, ou dar banho, faz com que ele se sinta inseguro e que opte por não voltar a fazê-lo.

Evite cobranças desnecessárias

Esta semana não vens a minha casa? 

Ontem já não fui ver a menina, hoje também não, daqui a pouco não me conhece. 

Esta altura é muito difícil, como já referi em cima, para toda a família, será que devemos sobrecarregar com estas questõezinhas menores? Será que vale a pena criar uma pressão em cima desta mãe?

Mãe é mãe. Avó é avó.

Por muito que possa custar e, mesmo que as suas escolhas fossem outras, esta é a maternidade da sua filha ou nora. Por isso, terá de aceitar e respeitar aquilo que ela decide para os seus netos. Naquele coraçãozinho pequenino de bebé cabem todos: a mãe, o pai e os avós e todos querem o melhor para ele.

Mas lembre-se o melhor colo, a seguir ao dos pais, é o seu, por isso esteja presente. Construa boas memórias com o seu neto. E seja feliz.

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.