Orgulhosamente português

Isto ser cidadão do mundo é muito bonito, mas o mundo esquece-se que foi conquistado pelos portugueses. Nós, tugas, somos um geneshake de europeus, americanos, africanos, asiáticos mas desengane-se quem acha que não temos personalidade. Aliás, arrisco-me a dizer que o gene português é um supergene e que prevalece sobre todos os outros.

Não é à toa que somos considerados os “conquistadores”, os “guerreiros dos mares” e os “povoadores” e que na nossa literatura tenha perdurado esse orgulho português em sermos os senhores dos mares. 

Senhores dos mares e senhores de uma língua dinâmica, sonora, bonita e única. Segundo esta notícia do Observador, temos três palavras que não tem tradução literal em mais nenhuma língua do mundo.

Saudade

Quando andámos a conquistar mundo, deixámos para trás tudo: casa, família ou até o amor de uma vida. A saudade – aquilo que sentimos quando nos falta algo ou alguém – de certeza que nasceu da ausência; porque todos sabemos que não se sente falta do que temos, sentimos saudade do que tivemos outrora. Eu sinto muitas vezes saudades: das pessoas que me faziam e fazem bem e de chocolates. Todos os dias suspiro por um chocolate.

Desenrascanço

Digam-me qual é o português que não se desenrasca com qualquer coisa? É com o portunhol, é com as ferramentas, é com as bifas no Allgarve, é tudo! Português que não seja desenrascado, não é português. Pensando bem, um teste de desenrascanço deveria ser uma etapa dos exames para obtenção da nacionalidade.

Eu admito que sou a raínha do desenrascanço. Por exemplo, a conversar com o Pedro desenrasco sempre alguns posts para o blog (como este). De manhã, quando tenho muita pressa, desenrasco qualquer coisa para tomar de pequeno almoço. Por isso, o ato de conseguir uma solução rápida para o português é uma coisa normal. Esta palavra também pode ter surgido dos descobrimentos: é que estas soluções desenrascadas teriam mesmo de existir além-mar e de uma forma quase rotineira.

Desbunda

Esta palavra é mais comum no português do Brasil. E eu percebo porquê, desde o Carnaval ao presidente da república que lá têm é tudo pra desbundar! Acho que não há país mais divertido que o Brasil! Nós por cá também desbundamos q.b. mas como somos menos (em número e em importância mundial), não somos tão mediatizados.

Por isso, desenrasquei um post mimimi p’rá desbunda mas que me deu imenso gozo em escrevê-lo e que, provavelmente, trará saudades.

Ahh… e desenrasquem aí umas partilhas que a je agradece! 🙂

 

Créditos da foto: João Camilo – a modelo ajuda, eu sei!

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.