[psicologia] Claro como água

Lembro-me de, nas aulas de ciências, me dizerem que a água trouxe a vida ao planeta terra, quando há cerca de 3800 milhões de anos, nela surgiam os primeiros seres vivos (unicelulares) e destes se deu a evolução dos restantes organismos.

Não tem sido incomum ouvir, de vários profissionais, que a água tem intenso poder. Mas quando li que a água reagia à energia e dela influíam diferentes reacções, fiquei intrigada.

Na série Longstreet, de 1971, Bruce Lee dava esta lição ao seu cliente cego:

“Esvazia a tua mente.

Sê informe, sem contornos, como água.

Se puseres água numa chávena, ela torna-se a chávena.

Põe-na num bule e ela torna-se o bule.

A água pode fluir, arrastar, gotejar ou quebrar.

Sê água, meu amig@.”

A água, sendo uma substância informe, adapta-se a qualquer ambiente ou forma. Mas segundo experiências conduzidas, também a forma molecular da água muda, em reacção a energia e/ou vibrações do meio ambiente.

Foi nesta altura que tomei conhecimento da experiência do Sr. Masaro Emoto (N. 1943, M. 2014), fotógrafo e autor japonês, que realizou experiências com água e arroz (elemento bem nipónico), registando em fotografias os resultados. E deixo-vos já uma ideia: podemos fazer esta experiência em casa com as nossas crianças!

A experiência basicamente consistia em usar três frascos de água e arroz (cru) em iguais medida e temperatura. Cada um dos frascos tinha o rótulo respectivo: obrigada | Idiota| (desprezo).

Todos os dias, durante um mês, Emoto dirigia palavras intencionais alinhadas com o respectivo rótulo, respectivamente: “obrigada” ao primeiro frasco, “idiota” ao segundo frasco e ignorava o último frasco. Bem… os resultados podem ser vistos neste vídeo.

Tendo em conta que mais de 70% do corpo humano é composto por água, Masaru Emoto relacionou esta experiência com a forma como se criam as crianças.

Segundo ele, “devemos cuidar delas [das crianças], dar-lhes atenção e conversar com elas. É a indiferença que faz o maior dano.”

Com o trabalho de Emoto, reuniram-se evidências de que a energia vibracional do ser humano, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música, afectam a estrutura molecular da água, a mesma que compõe 70% do nosso organismo e representa 70% do nosso planeta terra.

Apesar de Masaro Emoto não ter publicações científicas que comprovem os resultados das suas experiências, o autor deixou um conjunto de livros (“As mensagens da água”, “O pode de cura da água”, “A vida secreta da água”, entre outros) e documentários a respeito. Deixo-vos um  vídeo completo aqui e um trecho aqui.

E não são só as crianças que podem usufruir do poder transformador da água. Quantas vezes damos por nós a pensar num assunto que nos enerva intensamente? Ou quando verbalizarmos comentários a nosso respeito, quando algo nos corre mal… “sou sempre @ mesm@”; “Oh pá, que palerma que fui”; “Oh, que estupidez a minha”…

Este “remoer” em palavras desagradáveis, interfere grandemente no nosso estado de humor (e no nosso auto-conceito, estima e confiança), nas relações que temos com os demais e pode até mesmo interferir com a forma como o dia nos corre.

Se os pensamentos e as palavras têm este tipo de impacto nas moléculas da água, imaginem o que os nossos pensamentos, emoções e palavras podem ter connosco? Depois de ter conhecimento destas experiências, o impacto parece-me claro como água!

E vocês, já tiveram algum pensamento a vosso respeito, hoje? Já falaram com @s voss@s crianças hoje? Reflictam sobre este texto e, se sentirem essa necessidade, renovem a vossa intenção e pensamento da próxima vez que o fizerem!

P.S.: Um conselho com contornos de psicologia: digam o que querem que aconteça. A mente ajuda no resto!

 

Até breve,

 

Joana Madureira

Artigo por Joana Madureira

Mulher e Mãe de duas crianças. Psicóloga, Formadora, Consultora de Recursos Humanos e Blogger Mentora da marca registada SCHOLA - Educar para a Felicidade.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.