[organização] Campismo com Crianças é Fácil se souberes como! – Parte 2

Falemos mais um pouco sobre campismo!

Bem dispostos? Na semana passada escrevi 5 conselhos para quem se quer aventurar a fazer campismo com criançada. Soube a pouco não foi? Pois agora quero falar-vos um pouco mais sobre campismo e por isso – regozije-se ó alma! – vou-vos deixar mais 5 conselhos. Tão bom, não é?

Separa a tenda por zonas

Uma das coisas que acontece com maior frequência quando montamos a tenda é o acumular de malas e bagagens a um canto da tenda que vamos abrindo e usando. Quando damos por ela temos uma grande confusão de roupa limpa e suja toda misturada com fatos de banho pelo meio e chinelos que não aparecem em lado nenhum. O típico quadro de Bosch. Parece-te familiar?

Vamos resolver isso? Mesmo que estejamos em férias, é dado adquirido que se nada fizermos vamos acabar por passar uma boa horinha a pôr tudo em ordem desnecessariamente. Pior ainda, vai acabar por ser tarefa de uma pessoa só o que pode dar um sentido diferente à palavra “férias”.

Nada disso. A melhor forma de fazer com que ninguém fique com essa tarefa ingrata é arranjar um esquema, uma estrutura que todos possam seguir e que, no fim, possa servir para que tudo se faça de forma mais rápida e fácil. Separemos então a nossa tenda por zonas:

  • a zona da roupa suja: pode ser um saco ou uma fronha de almofada pendurada;
  • a zona dos fatos de banho, toalhas e chinelos: convém que esteja perto de uma abertura da tenda para se poder arejar as toalhas usadas e pôr a secar fatos de banho;
  • a zona dos produtos de banho e higiene: convém que possa ter algumas prateleiras ou algo que as simule como um acessório de arrumação suspensa do Ikea;
  • a zona de dormir: as tendas costumam ter alguns bolsos de lado na parte de dentro dos quartos – aproveita para colocar aí o livro, o peluche e uma luz de presença;
  • a zona da roupa limpa: poderá ficar tudo dentro da mala mas quando fizeres a mala deixa já tudo separado por criança para ser mais fácil na hora de destinar as mudas de roupa.

Estas são algumas das zonas essenciais. Poderá haver outras, dependendo do tamanho da tenda e do que fizerem. Logo depois de montar a tenda, faz essa separação, convoca todos os elementos da vossa aventura e mostra-lhes as zonas criadas. Depois é só estabelecer algumas regras e rotinas para que todos façam o mesmo e ninguém tenha que estar a fazer pelo outro. Mesmo que as crianças sejam pequenas (4 anos) podem perfeitamente participar neste esquema desde que devidamente orientadas.

Cria rotinas em jeito de jogo

Essa separação por zonas na tenda de nada vale se não for acompanhada pela dose justa de regras e rotinas. O que irá depender inteiramente de 3 factores:

  • a idade das crianças;
  • a abordagem das regras;
  • a adequação das regras ao contexto em que as pedimos.

Por exemplo, de nada vale estabelecermos rigorosamente as mesmas regras que temos em casa se estamos fora de casa e o contexto não for o mesmo. Aproveita só as que fazem sentido e as mais simples de seguir. Não te esqueças que estão fora de casa e isso para crianças mais pequenas pode vir acompanhado de alguma confusão. Dá-lhes tempo para se adequarem à nova realidade, sobretudo se for a primeira vez que fazem campismo. Se as rotinas não ficarem encaixadas à primeira, dá-lhes nova oportunidade. Mais uma vez, tentativa e erro. Vais ver que daí a nada estão a fazer tudo com bastante autonomia, mesmo que não fique perfeito. Porque o objectivo, mais uma vez, é que fique feito.

Eis algumas rotinas básicas que se podem utilizar:

  • depois de retirar a roupa suja, colocá-la no mesmo sítio;
  • depois de tomar banho, pendurar a toalha e colocar os produtos no bolso deles dentro da tenda (usa etiquetas coloridas);
  • aantes de entrar na tenda, deixar os sapatos de fora: se isto for feito em jeito de jogo com “passwords” e alguns rituais de brincadeira, acaba por ser mais fácil;
  • depois de comer, os mais velhos podem ficar encarregues de lavar a loiça (ou pelo menos a loiça mais fácil como os pratos): os adultos cozinham, as crianças lavam.

Usa o Zip Lock Packing Method

Hoje existem muitas opções para ajudar a fazer a mala. Uma das minhas preferidas é o uso de sacos de fecho para dividir as roupas por crianças ou categoria. Costumo usar sacos do Ikea que dão também a possibilidade de escrever o nome da criança ou a categoria (cuecas, meias, pijama, etc).

Esse método traz algumas vantagens, sobretudo para as crianças:

  • permite identificar a roupa rapidamente;
  • a própria criança pode embalar a sua roupa e meter na mala;
  • fica tudo separado dentro da mala, portanto não será necessário retirar da mesma para poder aceder à roupa;
  • o facto de serem sacos transparentes ajuda a perceber que conjuntos têm para vestir;
  • pode ajudar a separar as mudas por ocasião, tornando mais fácil perceber o que é para vestir e quando.

Podes também retirar os sacos por criança da mala (um saco por cada muda) e colocar na arrumação suspensa em modo de dispenser de mudas. Bastará manter em cada saco tudo o que é preciso, incluindo cuecas e meias.

E o melhor disto tudo? Não se deita nada fora: no final da viagem podes recuperar todos os sacos e guardá-los na mala prontos a usar para novas aventuras.

Faz um test run da tenda

Prática muito comum sobretudo nos Estados Unidos, o test run é uma actividade essencial para quem é novo nestas andanças de campismo. O princípio é muito simples: pôr à prova a tenda e habituar a criançada à sensação de dormir fora de casa, num novo ambiente que lhes é estranho.

Se tiveres jardim, tens o problema resolvido: bastará montar a tenda no mesmo e preparar tudo para uma noite diferente, com a promessa de ver estrelas e de fazer um pic-nic, algo irresistível para a maioria das crianças.

Se não tiveres jardim mas conheceres quem tenha, bastará pegar no telefone e informar a pessoa ou família “rifada” de que vai ter uma invasão no jardim, tipo principado do Mónaco. Traz cervejas, isso ajuda sempre a corromper os espíritos mais empedernidos.

Algumas coisas a ter em conta:

  • não forces: se a criança não estiver confortável, deixa-te orientar por ela e pela sua linguagem corporal – nenhuma viagem deste calibre começa bem com uma criança forçada a deixar o seu meio natural involuntariamente;
  • traz luzes de presença suficientes para iluminar o estado do Dragão: é a primeira noite deles fora de casa, praticamente ao relento, depois terás oportunidade de ir reduzindo a quantidade de lumens;
  • traz casacos e cobertas extra: isto é válido seja para o test run seja para depois;
  • prepara uma rotina de casa de banho semelhante aos planos de emergência dos aviões com faixas luminosas se possível.

E sobretudo divirtam-se! Não há nada de mais divertido do que uma noite diferente com tanta actividade promissora e tantos factores que podem correr terrivelmente mal, material essencial para aquelas comédias de verão em que nos rimos da desgraça alheia. Agradecendo aos divinos lumes mil vezes por não sermos nós.

Alguns objectos a não esquecer

Deixo-vos ainda uma lista de algumas coisas que não convém esquecer:

  • repelente de insectos (daqueles sem substâncias tóxicas provenientes de Springfield);
  • chapéus;
  • casacos;
  • tapa vento/chuva;
  • mudas extra de back-up;
  • papel higiénico (nunca se sabe);
  • baterias de recurso para telemóvel (tipo powerbank);
  • pilhas extra (para as luzes de presença, entre outros);
  • luzes de presença;
  • cobertas extra;
  • cerveja em quantidades razoáveis e que não levante suspeitas sobre a vossa capacidade parental;
  • saco de roupa suja;
  • água e mais água ainda;
  • sacos do lixo;
  • vassoura e pá (para limpar a tenda de vez em quando – vais precisar, acredita).

Acho que não me esqueci de nada. Entretanto vocês que estão desse lado aí da fibra avisem-me se porventura me estiver a esquecer de algo mesmo evidente tipo a tenda, o carro ou os miúdos.

Boas aventuras mais uma vez!

Artigo por Rita Accarpio

Mãe de 3, esposa, portuguesa, italiana, apanhadora de cogumelos, organizada, organizadora, empreendedora, linguista, fanática de chocolate, viciada em pastelaria, ultra-nerd. Não, não é o voto de casamento da Guerra dos Tronos. Sou eu. Venham saber onde acaba esta apresentação: www.organiguru.com.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.