|o meu casamento foi boa ideia porque…|

Hoje deparei-me com o post da Joana Gama do blog “A mãe é que sabe” sobre o seu novo estado civil – divorciado e decidi escrever sobre as boas coisas de estar casada.

Atenção: Claro que não estou a criticar quem se divorcia – por amor de Deus! – quero é que as pessoas sejam é felizes. Se o divorcio implicar um bem estar para todos, GO FOR IT. Agora, eu (ainda) gosto de estar casada, logo, tinha mesmo mesmo mesmo de fazer esta reflexão.

  1. somos todos cá em casa (incluindo o peixe) mais felizes;
  2. posso ver o que me apetece na televisão da sala porque faço chantagem emocional e sexual com o homem;
  3. posso fazer a sesta na sala, no quarto, no quarto dos miúdos, até na cozinha com os bracinhos cruzados na mesa porque com a carga de sono que tenho, quando adormeço hiberno e não há barulho que me acorde;
  4. tenho de dividir a cama, é um facto, excepto quando nos chateamos que alguém (que não sou eu) dorme no sofá (p.s. tentamos nunca adormecer chateados ok?);
  5. tenho noites de folga quando deito os putos mais cedo, ou quando os despacho para os avós;
  6. o tampo da sanita continua levantado, mas a culpa é minha – sou eu que sou a desarrumada cá de casa;
  7. não faço dietas e por isso, todo o gelado é bem-vindo;
  8. continuo a ouvir Rock DJ, Party like a Russian ou outras do meu Robbie, a toda a hora e pouco me importa se ele gosta ou não da minha melodiosa (sqn) voz;
  9. continuo a enervar-me mais com o miúdo mais velho (entenda-se pai das crianças) do que com os meus filhos, mas isso resolve-se logo com aquilo que toda a gente sabe mas que não gosta de falar;
  10. continuo espontânea e ele rígido com as rotinas. ele continua no seu registo sério descompensado quando se ri de mim a toda a hora (ele diz que se ri para mim loool);
  11. continuo com o melhor lugar do sofá, pela mesma condição exposta no número 2.
  12. tenho alguém (que não crianças) para contar as minhas peripécias do dia-a-dia;
  13. tenho alguém que azucrina a mioleira porque deixei a roupa no chão ou porque não pus o prato na máquina;
  14. tenho alguém que me está constantemente a pedir para lhe chegar um cremezinho na cara, nos braços, nas costas, nos pés (e chateia, mesmo);
  15. implica comigo por tudo, e por nada, mas no fim(maior parte das vezes) pede desculpas ou dá aquele beijinho selinho para tentar remediar a bosta que fez.
  16. sei que tenho alguém, mesmo com os defeitos do nosso casamento – que são muitos – me ama e tenta, diariamente fazer-me feliz.
Para a Joana: Este texto foi apenas um desabafo. Se o leres, espero que não leves a mal a minha humorística comparação. Um beijinho.
Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.