|miguel|

Tive os primeiros sintomas que este rebelde miúdo estava a caminho no hospital, durante o internamento do irmão. Na altura considerei aquele vómito, um sintoma resultante do nervosismo e da carga psicológica que estava envolvida naquela altura (que foi a pior da minha vida).

Mas os dias foram passando, o Pedrinho foi melhorando, teve alta e eu continuava com os mesmos enjoos, as mesmas dores de cabeça e o cansaço extremo. Resolvi, no dia 3 de Dezembro fazer um teste, para descargo de consciência, claro, que era impossível estar grávida. Era positivo.

A partir desse dia, tudo mudou cá em casa. As preocupações, as birras, os choros passou a ser tudo em dobro. O amor esse, também duplicou, bem como o orgulho. Sou, hoje, passado três anos do nascimento do Miguel, uma mulher muito mais orgulhosa nos meus filhos e em mim.

O Miguel, hoje, é um terrorista. Dá-me os melhores beijinhos besuntados com ranho e saliva do mundo. Adora Legos, bem mais do que o irmão. Adora comer e experimentar coisas novas. É destemido e simpático. Encara sempre o dia com um sorriso e é isso que faz as pessoas derreterem de amor por ele.

É muito imparcial uma mãe falar dos seus filhos, pois eles, para ela serão sempre o melhor do mundo.

O Miguel e o Pedro são o melhor do meu mundo. E por eles, sou capaz do impossível, mesmo sabendo que o impossível para uma mãe, passa a possível.

Para o meu miguel, hoje que faz três anos, desejo o melhor para sempre. parabéns meu amorzinho.

 

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Este artigo tem 2 comentários
  1. Marília Campos diz:

    Parabéns, Mini Miguel!!! …e parabéns também à mãe. Este dia será sempre, muito especialmente, de vocês os dois! :))

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.