[opinião] A economia dos segundos filhos

Toda a gente sabe que se compra tudo e mais alguma coisa quando se prepara a chegada do primeiro bebé. Os seguintes ficam bem mais baratos, e não é só pela herança com que já nascem – mas, principalmente, porque “o primeiro é de vidro e o segundo é de borracha”.

12620567_10153801273895767_1023086030_o

os meus filhos

 

O primeiro filho ainda não nasceu e já tem instalado no seu quarto (reparem que até já tem um quarto, mobilado-qual-Querido-Mudei-a-Casa) um complexo sistema de som áudio-visual, com sensor de movimentos e visão noturna! – Não vá o miúdo querer presentear os pais com umas sessões de cinema noite adentro, que irão assistir de camarote, da mini-TV instalada no seu quarto, comodamente deitados na sua cama, enquanto o puto berra no quarto ao lado… Quando quiserem, é só premir off.

O segundo já não tem direito a um sistema topo de gama, última geração, high-teck. Contenta-se com aquele que ainda houver – se é que já não se tenha estragado. Se calhar, pensando bem, nem vale a pena instalá-lo, já que os miúdos berram bem e dormir na cama dos pais acabou por ser a melhor solução para acabar com a carreira de petit cineasta.

 

E, nesta linha, os berços e as camas têm o mesmo destino. O primeiro dorme na alcofa que a madrinha ofereceu até aos 15 dias de vida; daí até aos 2 meses dorme no berço cheio de fru-frus e rodinhas que a avó fez questão de comprar e bordar só para não ficar atrás; aos 2 meses tem de ir para o quartinho (há que dar uso às coisas, afinal!) e dorme na cama de grades que se transforma em secretária, mesa-de-cabeceira, roupeiro, cama de miúdo crescido, e que a marca XPTO promete que é capaz de dar guarida até ao cachopo sair de casa aos 30 anos.

O segundo dorme no quarto dos pais e dali já vai direto para a tropa.

 

E as banheiras?! Aqueles móveis com banheira, trocador e cómoda incorporados, que ficam tão bem lá num canto qualquer do quarto – embora nunca caibam muito bem e tem de se inventar mil e uma maneiras de lá o enfiar, porque o menino precisa de tomar banho no quarto!!! – Alguém usa uma coisa dessas nos filhos seguintes?! Claro que não. A criança toma banho de chuveiro desde a maternidade. Ou se calhar nem toma; toma menos vezes que também não se suja assim tanto nem morre por isso.

Uma mãe com dois ou mais filhos tem lá tempo para acartar água para o quarto; verificar com termómetro se a água está a 37ºC – nem mais meio nem menos meio! –ir buscar mais água para ficar exatamente nos 37; dar banho à pressa ao miúdo enquanto o mais velho tenta chapinhar (leia-se: ajudar…); secá-lo e vesti-lo (os cremes, entretanto, ficam para o próximo banho dali a uma semana – afinal já não é um a berrar, são dois ou três); e depois acartar a água toda de novo para a casa-de-banho…

Soluções de guerra: encaixa-se a banheira da criançada na banheira dos crescidos e tomam todos banho ao mesmo tempo. Economia de tempo e dinheiro.

Por falar em vestir… Os filhos seguintes herdam a roupa toda do primeiro. Se o segundo for um menino e o primeiro tiver sido uma menina, só não usa os vestidos. De resto, dá-se um jeito. Bodies cheios de laçarotes e folhinhos cor-de-rosa, incluídos. Se forem de estações diferentes, a coisa torna-se ainda mais interessante.

Só há uma coisa que acumula. Os brinquedos! Quase que é preciso arranjar um quarto para os brinquedos: o quarto dos brinquedos. Há quem arranje… Quem não o faz, trata de espalhá-los pela casa dos familiares mais visitados (normalmente os avós) ou vai fazendo desaparecer alguns – alguns em particular, aqueles… que piscam, tocam, apitam, cantam, gritam… aqueles que não se calam.

Do primeiro guardou-se tudo religiosamente. O segundo já não irá usar nem metade daquilo que se guardou e, o que usar, há-de ser para aí um terço das vezes. Do segundo para o terceiro, há ali uma ânsia de fazer desaparecer aquilo que, afinal, nem é assim tão preciso. Ou, se calhar, desaparece sozinho – desconfio que os dois pares de pernocas pequeninas terão algo a ver com o assunto.

Ainda não fui ao terceiro, mas desconfio que esse só precisa de uma mama – não podia terminar este post sem falar em mamas!

Desafio-vos a listar outros exemplos.

Filipa dos Santos

Artigo por Filipa dos Santos

Conselheira em Aleitamento Materno | Assessora de Lactação | Doula de Parto e Pós-parto | Consultora de Babywearing | Fundadora da Rede Amamenta

Este artigo tem 39 comentários
  1. C diz:

    Tenho 2 pequenotes (J e M) e há 2 coisas que mudaram radicalmente do 1º para o 2º:
    – chupeta: qd caía a do J, toca que lavar com água bem quente; se cai a do M, passa-se por água se tiver sorte
    – quando caem: se o J caía, íamos todos a correr para ver se o puto tinha partido alguma coisa (como se fosse de cristal…); se o M cai, leva logo com um carinhoso “Vamos M, levanta!”

  2. Anónimo diz:

    Tão verdade. Adorei este artigo. Parabéns. …

  3. Sandra diz:

    Tudo 100% verdade!!!
    Adorei a expressão “os primeiros são de vidro e os segundos de borracha, tal e qual!!!

  4. Anónimo sss diz:

    Não concordo em quase tudo, ok!!! tenho 4 filhos e tudo novo, a primeira menina,segundo menino e os 2 tudo diferentes até o pote. a terceira tem diferença de 10 anos da 1 e foi tudo novo, de novo, da terceira para a 4 o que foi igual foi meia dúzia literalmente de pessas de roupa e o berço, até o colchão foi novo e a diferença das duas ultimas é só de 1ano e 9meses. A Fragilidade por igual de todos, so mudou as dúvidas… foram menores com o passar dos tempos… está é minha história de vida e minha perspetiva.

  5. Zélia Pereira diz:

    Adorei o post! Acho que percebi isso com o nascimento dos meus sobrinhos! Com o primeiro usava-se uma redoma e com o segundo já vai tudo na onda do “tudo ao molho e fé em Deus”! Como a minha filha nasceu depois deles (e a diferença entre os dois irmaos é de 10 anos) e tem uma diferença de 6 anos relativamente ao meu sobrinho/afilhado mais novo, acabou por herdar metade das coisas deles que estavam guardadas lá por casa: berço, alcofa, lençois, candeeiro, intercomunicador e marsúpio! As roupas só compramos para os primeiros meses, porque entretanto, uma amiga que teve uma menina e agora vai ter um menino deu-nos tudo o que eram roupas a partir dos 6 meses! Lololol! Foi muito económico! O carrinho, a banheira e o ovo foram emprestados por outra amiga que tinha lá em casa as coisas do irmao!
    Como podem ver a poupança foi gigante e fizemos a reciclagem de tudo!
    Quanto a tratar a menina nas palminhas?Hum..nem sempre, existem coisas que eu também sou do tipo “o que nao mata engorda”! Quem fica completamente horrorizado sao os meus pais (que por acaso tiveram 3 filhos que foram uns índios!Hahahahah!), mas deve ser porque ela é a princesinha da família!

    Adoro que a minha filha esteja sempre impec, mas acho que sou uma mae muito descontraída e nao ligo muito a essas coisas do “filhinho de cristal”! Acima de tudo só quero que ela tenha uma boa educaçao, muita saúde e que seja muito feliz, o resto vem por acréscimo! Acho que ela já é “de borracha”!

    Tudo se aprende na vida! 🙂 Nao julgo ninguém pela forma como lida com a chegada de um filho (seja o 1º ou o 2º…), cada um é como é e eu sou assim! Sejam felizes e descontraiam! 🙂

    • Filipa dos Santos diz:

      É isso mesmo 🙂 Normalmente os primeiros filhos da família toda (ou seja, primeiro sobrinho, primeiro neto, etc.) são mesmo de cristal 😀 Quando já existem outras crianças na família costuma ser um pouco diferente.
      Obrigada por comentar!

    • SMRS diz:

      Eu passei por algo semelhante. Também senti que a experiência com os meus sobrinhos me ajudou a descomplicar. A única coisa que pedia era que deixassem a minha filha ser “primeira filha,que me deixassem ser paranóica e lavar/esterilizar a chucha sempre que caía; me deixassem preocupar com cada tosse ou borbulha miniatura… A desvantagem dos sobrinhos é a restante família achar que já não é preciso preocupar-se com os ritmos da criança. Até porque a criança “tem que se habituar a dormir com barulho” enquanto com o meu sobrinho mais velho quase tínhamos que nos descalçar para não o acordar. Eu sei que esta desvantagem também é relativa, porque a minha filha também será difícil manter a minha filha em silêncio quando houver um bebé #2 mas deixem as mães de primeira viagem ser mães de primeira viagem! Temos tempo para descomplicar… 😉

  6. claudia diz:

    eh eh tenho 3 meninas e confere!! lolll 🙂 Parabens!

  7. Anónimo diz:

    Fartei-me de rir! Obrigado por toda a ironia 🙂 Muito bom!!!

    • Filipa dos Santos diz:

      Eu é que agradeço o feedback! Objetivo cumprido sempre que alguém diz que se riu, que era mesmo esse o propósito. Humor 🙂

  8. Elsa Pereira diz:

    Olá…
    Tenho 3 filhos (e acho que não fico por aqui) e é tal e qual como descrito…
    A melhor “descrição” que já ouvi sobre este tema foi de um amigo meu (na altura já ele pai de 3 filhos), e reza assim:
    “Quando a chucha do primeiro cai no chão… apanha-se, lava-se, ferve-se, esteriliza-se…
    Quando a chucha do segundo cai ao chão… apanha-se e lava-se….
    Quando a chucha do terceiro cai ao chão… apanha-se, passa-se na manga do casaco e já ‘tá!”

    “Cada filho que nasce traz um pão debaixo do braço”… o resto são apenas pormenores!!

  9. Inês diz:

    É mesmo! Mas isso é bom. O stress do primeiro filho é que é mau!

  10. Estou grávida do #6 … não vale a pena dizer mais nada pois não?
    (único mimo para todos, direito à primeira muda de roupa nova … o resto … )

  11. MC diz:

    A minha cunhada até dava banho ao primeiro com água do Luso… depois passou-lhe, claro! 😀

  12. Carla Vicente diz:

    Texto fantástico.
    Vou agora a caminho do segundo, agora será um menino. A primeira agora com 7 anos é uma menina.
    Com ela foi tudo comprado novo, claro. Desde cama de grades, berço madeira com baloiço, banheira com muda fraldas e outros acessórios xpto que usava no quarto lol.
    Todo o quarto foi decorado por medida, mandámos vir de Inglaterra uma placa de prevenção de morte subita, que apesar de ter sido “cara” cerca de 150€. Acho que quando falamos na hipotese de morte no berço nem é tão cara assim.
    Carrinho de passeio com ovo e alcofa, também foi outro investimento grande, mas acho que valeu cada cêntimo.
    Durante todos estes anos, guardei quase tudo na garagem, muitas vezes ouvi a sogra e o marido perguntarem porquê que não dava a quem precisasse. Porque provalvelmente não teria mais filhos.
    Hoje sabem dizer que afinal fiz bem guardar.
    É verdade que muita roupa ao longo destes 7 anos, se acumulou mas algumas coisas poucas doei e o resto está em bom estado.
    As crianças não estragam roupa, apenas deixa de servir.
    As avós dizem me que têm pena de eu usar grande parte das coisas usadas e que o bebé não merece. E eu a brincar garanto-lhes que as fraldas serão novas….
    Há que manter o bom humor.

  13. Michele diz:

    Adorei. Sou a segunda filha de três.
    Um dia perguntei à minha mãe porque é que o meu irmão tinha um livrinho com o registo do primeiro sorriso, primeira mecha de cabelo cortada, etc. e eu não. A resposta foi rápida e diz tudo “Ó, filha, porque foste a segunda… E já não havia braços para fazer isso”.
    Este artigo fez-me rir tanto!

  14. Lola diz:

    Ahahaha muito bom! Adorei!
    Ainda so tenho um (de 14 meses), mas na verdade tem alguns mimos de primeiro bebe (sim, a alcofa com fru-frus, os casaquinhos que a avo fez a mao, bla,bla,bla) mas muita coisa ja e tratado como um “oitavo” filho: tenho 7 sobrinhos, lidei muito de perto com eles e ha coisas que ja nao “cai” loool – nao e de cristal quando cai (opa, a nao ser que se entale, estremeca o chao ou caia algo pesado em cima, ja nao corro!); monitores?! que e isso? 😛 Tinha um de som, que usei umas 3 semanas (a cada suspiro do miudo aquilo acordava-me!! Quem vive com isso?) e os banhos sempre foram na casa de banho (coitadinho, diziam as avos!), com uma banheira que tinha um tubinho que deitava a agua para a nossa banheira – nada mais pratico!
    Os meus amigos so dizem “se es assim com o primeiro, o terceiro ha de trepar o sofa e as camas com 4 meses” ahahahah
    Bem haja!

  15. ana diz:

    A minha menina que por sinal é a segunda filha fica tao bem com os bodies azuis do irmão… dois anos e meio mais velho. Todas as mariquices do primeiro filho sao esquecidas e tudo corre perfeitamente bem. Felicidades

  16. Marisa Vieira diz:

    Sem dúvida. .. tenho o segundo á quatro meses… a minha cunhada teve o primeiro e dei-lhe bastantes concelhos sobre o que é ou nao issencial. Os segundos é mais na descontração. Lembro-me que o meu primeiro bastava ve-lo a puxar mudava logo a fralda… neste espero que coma bem, arro-te e se adormecer deixo-o estar. ..lol desculpem mas ele dorme mal e acorda com facilidade. Nunca lhe fez mal.

  17. Susana diz:

    Adorei o artigo! É tal e qual assim! Eu tenho 2. Com o primeiro, foi puxadores para as gavetas em forma de estrela, e a fita com ovelhas para colar na parede do quarto, e o candeeiro que era um ursinho num balao e custou 50 eur, e o intercomunicador, e o esterilizador para micro ondas, e o berço e a banheira …e o trocador! O segundo dormiu na minha cama até aos 3 anos, depois passou para a cama dele! , nada de intercomunicador, ele estava ao pé de mim, foi amamentado ate aos 6 meses e nunca esterilizei nada, chuchas nunca usaram. Cai a bolacha ao chão, na rua, ele apanha e mete na boca…olha o q nao mata engorda, sempre tomou banho no lavatório (quando era mt pequenino) e na nossa banheira, embora me tenha dado cabo das costas. Sempre trocou as fraldas em cima da minha cama. Metade das coisas que se compra para o primeiro não são precisas.. Ja para nao falar nas lambidelas na cara que sempre levou das minhas cadelas!! Nunca teve alergias nem bronquiolites nem doenças de maior… !

  18. Susana diz:

    Outro bom exemplo são as idas ao médico! No primeiro vai se a correr se o menino fez um arranhão na cara! No segundo, se bate com a cabeça, só se estiver sonolento e estranho ao fim de 2 dias é q me preocupo! E febres sem outros sintomas? Se nao duram mais que 3 dias, benuron e mimos e água.

  19. Cláudia Sousa diz:

    Adorei o artigo 🙂 Tenho um menino de 4 anos e estou grávida de uma menina…
    Ri muito só não sei se vou conseguir ser tão descontraída até pq do primeiro não passei por muita coisa… por exemplo, quase q nem tinha q “desinfectar” nada pq foi amamentado até aos 17 meses mas muitas coisas “desinfectei” até pelo menos aos 3 anos 🙂 Ainda hoje sei q sou “nojenta” :/
    Deste Tesouro nem sei… se vou ser assim tão “mãe galinha” 😀
    Obrigada pela(s) partilha(s) :*

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.