Trabalho e Família – Carina Pereira

Ser Mãe transformou o meu Mundo!
Sim, é um cliché, eu sei. Mas é a mais pura verdade 😍.

 

Nasci no Porto, há alguns aninhos, e por lá fui ficando. Fui para a Faculdade, na Universidade do Porto, onde me licenciei em Gestão e onde conheci o amor da minha vida. Começámos a namorar muito novinhos e fomos crescendo juntos. Quando nos pareceu o momento certo, decidimos ir morar juntos, depois casámos e, mais tarde, decidimos que queríamos ter um Filho.

 

Tivemos o Miguel e apaixonámo-nos imediatamente por ele 💖!

 

Decidimos (sim, é verdade, foi uma decisão, pensada e ponderada!) que queríamos que o segundo Filho viesse com pouca diferença de idades em relação ao irmão.

E assim, tivemos o Rodrigo, por quem também nos apaixonámos perdidamente 💖!

 

Sempre gostámos de viajar, estar com os nossos amigos, passear, ir jantar fora e aproveitar os dias ao máximo. E, com dois Filhos pequenos, continuamos a fazer tudo isso, porque temos a certeza que os nossos Filhos estão felizes onde a Mamã e o Papá estiverem, felizes também 😊.

Acredito que temos a missão de dar o melhor de nós aos nossos Filhos. E isso envolve sentar-nos no chão a brincar com eles, proporcionar-lhes experiências diferentes e divertidas, mimá-los e, claro está, educá-los da melhor forma que sabemos.

 

O início da minha caminhada na maternidade foi emocionalmente avassalador! Senti como se, de repente, tivesse deixado de ser uma menina, para passar a ser uma Mulher, com a responsabilidade de criar um pequeno ser, totalmente dependente de mim. Uma das formas que encontrei de lidar com esse impacto foi através da escrita. Eu sempre gostei de escrever e, assim nasceu o Go Baby, Go!. Inicialmente era mais um blogue de Mãe. Mas, aos poucos, passou a ser também o palco de reflexões mais profundas, que normalmente se relacionavam com a criação de condições para que as Famílias consigam conciliar a vida profissional e pessoal.

 

Nesse âmbito, lancei uma petição, com base na recomendação feita pela Organização Mundial de Saúde de que os bebés devem ser amamentados, em exclusivo, até aos seis meses. O objetivo era aumentar a licença de parentalidade, exclusiva da Mãe, para os 6 meses.

 

E foi um sucesso! 33.658 concordaram e subscreveram a petição, que foi apreciada em Plenário. Alguns partidos políticos apresentaram propostas de alteração à lei atual e diversos meios de comunicação social ajudaram o pôr o assunto na ordem do dia. Empresas e outras entidades juntaram a sua voz à minha.

 

De repente, uma Mãe, como tantas outras, conseguiu fazer-se ouvir. E pôr os senhores/as deputados/as a “falar sobre uma ideia da Mamã”!

 

A partir desse momento tive a certeza que queria começar a intervir como agente de mudança junto do tecido empresarial português, para que este reconheça o seu papel enquanto motor de incentivo à natalidade. Sendo o equilíbrio entre a vida familiar e profissional um dos principais objectivos da maioria das Mães e Pais que trabalha fora de casa, gostava de acreditar que, de alguma forma, posso contribuir para que estas duas esferas deixem de ser encaradas como antagónicas, mas antes como parte integrante de um todo. Que se quer Feliz, para que possa dedicar-se, simultaneamente, à sua Família e à sua Profissão, sem sentir que uma rouba espaço à outra!