[psicologia] Ensinar a pescar II: um acto de amor maior

Dois meses passaram desde o nosso último texto “Ensinar a pescar: um acto de filantropia“, onde demos a conhecer o Projecto da Susana Garrett Pinto Teach How to Fish e do trabalho desenvolvido pelos voluntários e demais intervenientes, num infantário da aldeia Chen Raom em Siem Reap, Camboja.

O nosso texto chegou a mais corações e num acto de amor maior, mais voluntários se juntaram a este projecto que ajuda crianças carenciadas e as suas famílias.

Dois meses… deram pelo tempo passar? 

Dois meses desde o nosso texto. Para o Pedro, passaram já 4 meses desde que deixou o seu país, a sua família e toda a sua zona de conforto, para rumar ao Camboja e tornar-se voluntário de corpo, alma e emoção.

Já para a a Raquel, o Hugo, o Bártolo, a Sílvia e para a Cecília, recém-chegadas ao Camboja como voluntárias, a jornada ainda agora começou!

Sílvia e Cecília

O trabalho desenvolvido tem sido intenso, mas o brilho e a sinestesia de emoções, são bem visíveis nos olhos dos voluntários e das crianças. Existem coisas que não se vêem. Sentem-se!

No Kindergarten Siem Reap, local que presta apoio extra-escolar às crianças mais carenciadas, o trabalho desenvolvido não se limita a ajudar as crianças da aldeia, mas também ajudar na construção de espaços físicos e materiais. Literalmente. Desde o chão às secretárias de estudo. As imagens falam por si.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Confesso que acompanho este projecto com o coração.

Fiquei apaixonada pela luz sincera (invisível aos olhos, mas não ao coração) com que o Pedro me contou que iria partir no meu doce mês de Novembro. Ele tinha acabado de vender tudo aquilo de que era proprietário… vários pertences, mobiliário, casa, empresa! Simplesmente sentira no seu coração que tinha de partir.

No final das contas, quem dá e nada pede em troca, muito mais recebe… e por vezes o que se recebe só se “vê” com os sentidos!

Quem quiser ajudar este projecto, encontra no site todas as informações necessárias. As ajudas podem vir na forma de voluntariado, através de eventos, com contributo de ideias, donativos, parcerias, na partilha deste projecto com a sua rede de contactos, ou, simplesmente, com o seu sorriso! Também podem acompanhar o Teach How To Fish no Facebook.

Todos temos o poder de ajudar; de “ensinar a pescar”.

Não precisamos que seja fora de Portugal, pode muito bem ser por aqui mesmo! A internet é uma janela para o mundo, procurem o projecto com que mais se identifiquem ou façam como a Susana Garrett Pinto e criem a vossa própria forma de ajudar. Marquem a vossa diferença com actos de amor, o mundo e a humanidade, ainda precisam!

Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota. Madre Teresa de Calcutá

 

Até breve,

Joana Madureira

Artigo por Joana Madureira

Mulher e Mãe de duas crianças. Psicóloga, Formadora, Consultora de Recursos Humanos e Blogger Mentora da marca registada SCHOLA - Educar para a Felicidade.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.