O Caderno da Gratidão e 6 dicas para crianças gratas

Sendo um dos sentimentos mais nobres, a gratidão gera amor, amizade e fidelidade, entre irmãos, entre pais e filhos e em tudo aquilo que fazemos.

O Migas é por norma uma criança agradecida. Sempre foi. Há dias disse-me: ‘ainda bem que temos uma casa Mãe, há crianças que não têm nada’. Aquelas palavras não me saíram da cabeça e lembrei-me que, dando seguimento à ideia já aqui partilhada pela Bea, podíamos criar nós um método para poder agradecer e registar a gratidão que sentimos.
Palavras como ‘obrigado’ ou ‘por favor’ estão quase extintas nos dias de hoje, seja em família ou nas nossas relações quotidianas. Exprimir gratidão pelas mais pequenas coisas é algo que não é muitas vezes colocado em pratica.
Entender e viver em gratidão é entender que o outro é importante na nossa vida e reconhecer que sozinhos somos totalmente incompletos. É aprender que nada cai do céu e precisamos correr muito, lutar muito pelas coisas, e que num determinado momento da nossa vida vamos sempre ter necessidade de alguém e ai sim, é hora de agradecer e de nos sentirmos gratos.
É isso que quero ensinar aos meus filhos, agradecer. Agradecer pelas coisas pequenas, pelo pouco, pelas pessoas que temos em nosso redor ou pelo menos diminuir as suas reclamações.
Optámos por um método onde possamos registar a nossa gratidão com data e hora, em registo papel e escrito por nós. Uma recordação que eles poderão levar para a vida. Optámos pelo famoso Caderno da Gratidão. Duas vezes por semana, ao final da tarde nós agradecemos. Cada um de nós terá que ser grato por 3 coisas. Um caderno simples. Uma escrita mais simples ainda. Tal qual como a gratidão deve ser, singela.
dsc_0761dsc_0755dsc_0758
Tendo em conta o funcionamento da nossa família, deixo algumas (entre muitas) dicas para ajudar as crianças a praticarem a gratidão:
  1. Palavras mágicas – Obrigado. Por favor. Pedir licença. Pedir perdão. Exemplo! Nós adultos, somos o exemplo.
  2. Reclamar não gera resultado – Mostrar sempre o lado positivo das coisas. Um parque sem crianças pode parecer chato, à primeira vista! Mas há tanta coisa engraçada que se pode fazer num parque sem ninguém. Cativar pelo lado bom. Dispensar o que é mau.
  3. Criar actividades entre irmãos – Pedir ajuda ao irmão mais velho para vestir o mais novo para a escola, pedir ajuda a contar uma história ao deitar, podem ser tarefas que ajudam o mais velho a criar um sentido de responsabilidade e desta forma, o mais novo a sentir gratidão para com o irmão.
  4. Dar experiência, não presentes – Aqui em casa tem sido uma das praticas mais utilizadas. Mais presentes para quê? Experiências transmitem vida, brinquedos a mais transmitem materialismo. Materialismo não gera gratidão.
  5. Dar ao invés de receber – Oferecer espontaneamente um presente ao irmão sem que ele sinta a necessidade de ganhar um também e vice-versa.
  6. Contar as coisas boas do dia (Caderno da Gratidão) –  Um estudo de 2008, divulgado pelo Journal of School Psychology, mostrou que todos os 221 adolescentes que escreviam todos os dias, durante duas semanas, cinco coisas pelas quais eram gratos, tiveram melhores resultados escolares e melhor satisfação na vida do que os estudantes que escreviam cinco aborrecidas.
Mónica.
Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.