Conta-me histórias.

Cá por casa somos apaixonados por histórias, por livros, por palavras. Desde a mãe que conta contos, ao Migas que adora as paginas mais coloridas de um livro, ao D que adora rasgá-las e ao Pai que só gosta de as ouvir. 

Contar histórias é uma das mais belas artes da palavra.

Antes, o Migas, contava histórias pequeninas:‘Era uma vez.. um lobo. E fim!’. Agora conta histórias grandes e elaboradas, cheias de enredo. Enredo que por vezes nem eu percebo. E termina o D com a sua hilariante: ‘Vitóia Vitóia, atabô a tóia’.  

Contar uma história que ensine algo à criança e fazê-la sentir-se identificada com os personagens é um bom instrumento de aprendizagem. É trazer todo o enredo à criança e fazer com que ela de facto viva toda a história, vivendo, viajando, aprendendo.

Acontece que o Migas pediu para deixarmos os livros por uns tempos. Diz que está cansado de ver a história no papel. Perguntei se eles queriam fazer parte de uma história. Ambos aceitaram. Partimos para a aventura…

Antes de irmos para a cama arranjamos 15 minutos do nosso dia para vivermos uma história. Já fomos caçadores de estrelas ao anoitecer, só com uma lanterna. Fomos piratas a descobrir uma ilha (o sofá) cheia de moedas de chocolate. Já fomos bruxas malvadas a tentar roubar o capuchinho vermelho, até tínhamos ‘capas de bruxa’ (leia-se: mantas polares presas com molas da roupa). Agora, sem que eu diga nada eles brincam com histórias, adaptam-se ou inventam personagens, enredos…

… mas os finais, esses, são sempre felizes!

Por vezes fica difícil de registar tudo ao pormenor, mas aqui fica a ilustração da ‘Bela Adormecida’ dos miúdos. Prometo começar a trabalhar na edição de vídeos! 😉

”Era uma vez um menino com o sorriso cor da neve.

Um sorriso tão lindo que um dragão enoooooorme, chamado Avô, que morava no fundo mais fundo, do fundo da terra, queria aquele sorriso só para ele. Para mais ninguém.

Era muito resmungão aquele dragão. E forte!!!

Como o menino com o sorriso da cor da neve não parava de sorrir para toda a gente, o dragão estalou os dedos e o menino ficou a dormir. E era mesmo para sempre! A sério!!

O seu apaixonado travou uma dura batalha de beijinhos e caretas com o temível dragão e conseguiu colocá-lo preso numa caixinha muito pequeniiiiiina, tal não era a sua força. Uau!!

O menino estava deitado, o seu apaixonado aproximou-se e deu-lhe um beijinho muitooo grande com esperança no seu despertar…

Vivaaaa, o menino acordou!! Os beijinhos fazem-nos mesmo bem não é?!”

Mónica.

Este artigo tem 0 comentários
  1. Monica diz:

    Obrigada Ana. Um beijinho para si.

  2. Monica diz:

    Ana, pode enviar um e-mail para mail.bloga8@gmail.com.
    Grata

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.