[testemunho] The biggest winner – a grande vencedora

Este testemunho veio ter até nós de forma diferente. Conheci a Ana através do Facebook e a história dela comoveu-me. Pedi para que me fizesse um resumo da sua história de vida e me mandasse algumas fotografias. Assim o fez respondendo a algumas questões que lhe coloquei. Esta é mais uma prova de superação. 35 provas de que a nossa força interior comanda a nossa vida.

13644324_298563020480365_505110386_n

Antes | Agora

Como foi a tua infância?

Fui uma menina sempre muito sorridente e com uma imaginação muito fértil. Tinha uma grande capacidade em fazer novas amizades e era muito comunicativa. Todos os anos ia no verão para as colónias de férias e quando chegava a hora da partida, eu vinha sempre com dezenas de amigos e amigas novos no coração. Brinquei muito com vizinhos e irmãos. Sempre fui uma menina muito popular na escola, era amiga do meu amigo e tinha um sentido de humor acima da média, eu costumava dizer que era o palhacinha da turma!

Quando começaste a engordar e porquê?

Comecei a engordar quando tinha 8 anos de idade. A minha mãe foi ter com a cozinheira da escola, que se dava muito bem comigo e que gostava de me encher bem o prato á hora de almoço. Pediu-lhe que não me deixasse comer tanto, visto que a minha mãe era uma pessoa obesa e as probabilidades de eu vir a ser também eram grandes. Entretanto a minha mãe estranhou aquele aumento de peso tão grande e pediu à minha pediatra na altura que me passasse umas analises gerais e foi quando se descobriu que eu sofria de hipotiroidismo como a minha mãe. Comecei logo a fazer tratamentos com medicação e ainda hoje continuo, é um problema para toda a vida.

Qual foi o teu maior peso?

O máximo que pesei foram 107 kg.

13652844_298622613807739_510466734_n

Quando te apercebeste que estavas obesa?

Sempre tive consciência do corpo que tinha. Evitava olhar-me no espelho depois do banho, por exemplo. Deixei de gostar de me ver em fotografias e raramente deixava que me tirassem uma mas o vicio da comida era maior que a tristeza se estar como estava.

Sentias-te feia? Não te sentias bem com o teu corpo?

Sentia-me horrível. Sentia-me feia, com roupas que eu não gostava de usar mas que era obrigada porque nem sempre haviam os meus grandes números. Não me sentia sensual, olhava no espelho e parecia que tinha sido picada por insetos de tão inchada que estava. Quando hoje olho para as minhas fotos antigas dá-me um aperto tão grande no peito de tristeza por me ter deixado estar presa àquele corpo durante tantos anos. Cortar as unhas dos pés ou pinta-las era um sacrifício, cansava-me com facilidade, no verão tinha que dormir com duas ou três almofadas pois ficava com a sensação de que ia abafar por causa da gordura acumulada na zona do pescoço. Quando tinha algum casamento, festa de aniversario, jantar … por mais roupa que eu escolhesse, por mais bem maquilhada que eu estivesse, mesmo com o cabelo arranjado, nunca conseguia sentir-me bonita. As poucas vezes que fiz praia nesses anos em que estive muito acima do peso ideal, sentia-me como se levasse um murro no estomago, sempre que olhava para uma mulher com um corpo bonito, sentia-me muito pequenina, como se me precisasse de esconder para não me verem ali. A vontade de chorar era sempre muita, nessas situações e a insegurança ganhava poder em mim.

Porque decidiste perder peso?

No dia 11 de Junho de 2015, estava sentada em frente ao computador a ouvir música com os fones nos ouvidos. Nesse dia sentia-me deprimida, tinha a música bem alto e só queria não pensar em nada. Abri a pasta das minhas fotos antigas, onde tinha 18/19 anos e comecei a olhar com olhos de ver como eu tinha sido linda, que era assim que eu queria voltar a ser, e dei por mim a chorar como uma menina perdida, ao passar de foto em foto. Quando apareceu no ecrã do computador aquela fotografia, sim, aquela que toda a gente tem e adora, a minha foto preferida, o chão parecia que me estava a fugir por baixo dos pés. Eu, nessa foto, estava com mais ou menos 68 kg. Comecei a fazer as contas e fiquei em choque:”Eu tenho 40 e tal kg a mais, Tenho 28 anos e sou considerada uma obesa mórbida.” Comecei a lembrar-me das pessoas que me diziam na cara que sem uma cirurgia eu não conseguiria emagrecer pois era muito difícil. As lágrimas tomavam conta de mim juntamente com pensamentos e lembranças. Ouvi tantas vezes isso que eu própria acabei por acreditar e dar como desculpa que não valia a pena fazer dieta pois com o peso que eu tinha, só conseguia se fizesse uma redução de estomago como a minha mãe tinha feito. Nessa noite as horas não passavam, a tristeza tinha-me invadido com todas as suas forças, até que ao amanhecer adormeci mas antes tomei uma decisão sobre mim: “BASTA! Se queres voltar a olhar no espelho com gosto então vais ser mais forte que opiniões, vícios de comer …” No dia 12 essa força acordou comigo e desde aí que luto diariamente contra a balança.

13650559_298563213813679_665193951_n

Quantos kg perdeste em quanto tempo?

No dia 12 de Junho de 2016, precisamente 1 ano depois, o meu peso era de 72kg, ou seja 35kg perdidos ao fim de 365 dias.

13664680_298563253813675_572825369_n

Como conseguiste?

(entre risos) Nem eu sei, ás vezes ainda não acredito. Comecei por cortar ás quantidades de comida, introduzi no mesmo dia o exercício físico na minha vida. Como era verão não custou tanto, comecei logo por cortar o arroz e as batatas ao jantar, apenas comia a sopa, salada e a proteína sempre cozida ou grelhada. Introduzi muito na minha alimentação as gelatinas, quando me apetecia um doce recorria a elas, ou antes de ir para a cama comia gelatinas de iogurte com sementes de chia . Tive sempre pessoas á minha volta que me apoiavam psicologicamente e que me davam muita força para eu continuar e isso é um peso enorme numa fase dessas. A comida era um vício tao grande para mim que eu deitada na cama, dava por mim a pensar no que eu iria comer no dia seguinte. Foi uma mudança da noite para o dia, radical, agressiva mas do qual não me arrependo um segundo da minha vida. Consegui graças à minha força de vontade, à minha nutricionista, aos meus familiares e amigos, ao meu sobrinho que apenas com 14 anos se dedicou tanto em ajudar-me no acompanhamento dos exercícios físicos. Ao meu namorado que me mimava com um hambúrguer feito por ele de vez em quando para que eu percebesse que a vida tinha que ser vivida como se fosse o último dia e porque ninguém é escravo do seu corpo que ás vezes uma asneira sabe tão bem e faz maravilhas ao estado psicológico.

Qual era o teu programa alimentar?

Durante mais ou menos um mês eu fiz o meu plano alimentar, recorri á ajuda da internet e livros que tinha cá em casa. Uma tarde fui lanchar a um café e pedi meia torrada sem manteiga e um café, á saída cruzei-me com uma amiga de infância que hoje é nutricionista e em conversa disse-lhe que estava a fazer dieta e que já tinha perdido 1 ou 2kg. Nesse mesmo dia ao final da tarde recebi uma mensagem dela a dizer que tinha ficado a pensar na nossa conversa e que gostava imenso de me seguir. A partir dessa altura a Joana fazia-me planos alimentares de acordo com a minha rotina. Foi fácil lidar com a Joana, não era nada rigorosa com o plano alimentar que me fazia e era sempre muito meiga e compreensiva em tudo. Pequeno-almoço: 1 pão com queijo magro ou uma fatia de fiambre de frango. + 1 copo de leite ou 1 iogurte magro. Meio da manhã: 1 peça de fruta ( eu comia uma maçã) pequena. Almoço: Sopa sem batata + 2 colheres de sopa de arroz, massa, ou 1 batata pequena do tamanho de um ovo + salada á descrição ou legumes e o peixe e a carne grelhados ou cozidos. (Não bebia água á refeição nem comia sobremesa.) Lanche: 3 ou 4 tortilhas de arroz com fiambre de frango e 1 iogurte com sementes de chia + uma peça de fruta. Jantar: Sopa+ Salada + proteína grelhada ou cozida ou então um ovo cozido. Ceia: Gelatina e bolachas de água e sal ou cornflakes.

Fazias exercício? O quê?

Comecei todos os dias a ir caminhar depois do jantar, assim que comecei a conseguir, passei a alternar caminhada com corrida. O meu sobrinho acompanhava-me sempre e puxava por mim. Quando chegava em casa depois das corridas/caminhadas, fazia abdominais, agachamentos, flexões… vários exercícios com o meu sobrinho. Nos primeiros dias mal conseguia fazer 2 kg a pé, ao fim de um mês conseguia correr e fazer 100 levantamentos de pernas.

Qual era o teu objetivo de peso? Já o atingiste?

Gostava de pesar 65kg , ainda não atingi, falta pouco, não tenho pressa.

Já retomaste aos maus hábitos alimentares?

NUNCA mais! Se há coisa de que tenho medo é de voltar ao passado e recuso-me! Faço uma asneira de vez em quando claro que sim, se em casa o jantar for batatas fritas eu como, não encho o prato duas vezes como fazia antigamente mas não deixo de comer. Antes de começar a emagrecer, comia muitas vezes hambúrgueres e cachorros juntamente com amigos de madrugada.Há uns dias atrás fui com o meu namorado e tentei comer um hambúrguer como tanta vezes fiz e só consegui comer metade pois já estava muito cheia e não me estava a saber tão bem como me sabia no passado. Nunca liguei a doces, o meu problema sempre foram os fritos, os rissóis, os croquetes .. A comida de plástico, tudo o que tivesse molhos …

Estás mais feliz com o teu corpo e contigo? Achas que isso motivou a tua auto estima?

Sem dúvida nenhuma que sim. Renasci, sou uma nova pessoa. A minha auto estima era do piorio, eu não acreditava em mim, eu detestava ir ás compras, sabia que saía das lojas mais triste do que tinha entrado pelo facto de raramente encontrar uma peça de roupa que gostasse e me servisse! Tinha plena consciência que muitas das vezes que não fui contratada por alguma empresa se devia ao meu aspeto. Hoje isso acabou, foi tudo embora juntamente com os kg que perdi. Sinto-me bonita e atraente, sinto-me muito mais segura de mim, não sinto necessidade de me esconder nem tão pouco me sinto “pequenina” ao lado de outras mulheres. A luta ainda não acabou nem nunca vai acabar mas hoje tenho orgulho em olhar-me no espelho e as fotografias voltaram a fazer parte da minha vida.

Sentes-te mais capaz?

Claro que sim, mais capaz de enfrentar qualquer problema que me surja pela frente, mais capaz de encarar as pessoas, sinto-me mais capaz de sorrir com o olhar, sinto-me mais capaz de ultrapassar algo mau que apareça na minha vida. Não acreditava na força que tinha, não acreditava nas minhas capacidades mas isso tudo estava lá só que meio que adormecido … e como um dia alguém me disse : ” Tu gostas de desafios.” E não é que essa pessoa tem toda a razão? Gosto, apenas não sabia ainda!

Achas que em termos de trabalho/ aceitação pela sociedade as pessoas com excesso de peso são vistas de lado?

Não tenho dúvidas nisso, aliás eu passei imensas vezes por isso. Em entrevistas de emprego a resposta era sempre a mesma : ” Se for a selecionada entraremos em contacto consigo.” Com o tempo eu fui percebendo que o meu aspeto, por mais experiencia que tivesse, simpatia ou qualificações era mais importante que tudo o resto. Deixei de enviar ou entregar currículos em lojas de centros comerciais, pois a funcionária ideal para estar atrás do balcão é aquela que tem um corpo bonito, infelizmente na maioria das empresas é assim. O aspeto conta muito hoje em dia na nossa sociedade e infelizmente. É mais importante que a funcionária tenha olhos verdes, corpo bonito e cabelos encaracolados do que a funcionária que é amável para os clientes e profissional.

13639937_298563273813673_1012463257_o

Agora | Antes

 

 

A Ana neste momento é uma mulher realizada e feliz. Tem necessidade de perder peso e não consegue? Entre em contacto connosco!

Este artigo tem 4 comentários
  1. Belém Correia diz:

    Parabéns! Éuma inspiração para mim. Admito que tenho de ser controlada para não cair em tentação…. 😢

  2. Bia Baptista diz:

    Parabens pela força de vontade e coragem…. eu preciso apenas de perder uns 12 kg e sempre acabo por desistir dando qualquer desculpa mas com o que acabei de ler so entendo que sem força de vontade nada se consegue e vou tomar isso como exemplo pra chegar la. Maid uma vez parabens e obrigada por partilhar a sua historia que eu sei que vai motivar mta gente. Bjocas e felicidades.

  3. sarinha diz:

    Estou ate agora com um nó na garganta de ler este teu testemunho sem duvida uma força da natureza…….posso me considerar tua amiga apesar de so nos conhecer mos desde o dia nove do mes passado…mas vejo ja o quao amiga es….a guerreira que es….e pelo amor que vos une a ti e ao teu morzinho…vejo nos vossos olhos amor que nunca vi em mais nenhum casal….eu ja pessei por isso claro que nao cheguei a pesar tanto mas eu com a minha gravidez a doze anos pesava 92kg….com muito esforco consegui emagrecer tambem…mas neste momento como estou desempregada tenho medo de voltar a aumentar de peso…isso porque aumento de peso com muita facilidade….ANA admiro muito a tua força e o teu testemunho….um beijo do tamanho do mundo a ti pelo teu testemunho e a que m o redigiu que sem duvida cheio de emoção..

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.