Ir ao supermercado com crianças (sem birras!)

Quem tem crianças sabe que este momento é um dos mais temidos todas as semanas. Aqui em casa não é exceção. Hoje em dia, todos os supermercados são inundados por publicidade cativante para crianças. O sítio estratégico dos queijinhos com brinde ao lado os iogurtes, dos baldes de carros junto aos cereais de pequeno-almoço ou cestos de bolas junto às bolachas, faz parte da estratégia de vendas das marcas. E, às vezes, as birras aparecem e temos que lidar com elas, com carinho.

Hoje vou dar umas pequenas dicas sobre o que fazemos cá em casa e tem dado resultado.

supermarktPassatempo Bloga8 e Oh! Organização Habitual

  1. Ir às compras sozinha/o: ahahha! Apanhei-vos!! Sim, esta é a dica 100% infalível anti-birras. Ir sozinha/o às compras sem as crianças é sem dúvida o método mais eficaz de resolver o problema. Se não tem hipótese, não se preocupe, as seguintes vão ajudar.
  2. Crie uma lista de compras: Peça ajuda à criança para ver o que falta na despensa de forma a participar no processo de preparação para ir às compras. [Até temos uma em passatempo!] Se for uma criança mais crescida, pode ficar responsável por ver no folheto as promoções nos diversos hipermercados.
  3. Não vá ao supermercado com fome: Se forem ao supermercado com fome, acreditem, vão pecar e trazer coisas que não devem e as crianças estarão mais irritadas. Evitem os horários das refeições para fazerem compras. Ou levem um snack preparado em casa.
  4. Não ir na hora da sesta: Quem diz na hora da sesta, diz na hora de deitar. Com sono, as birras aparecem num ápice e controlá-las é um desafio.
  5. Leve um brinquedo: Sou apologista que se deve levar um brinquedo para as crianças se irem entretendo (sobretudo as mais pequeninas!)
  6. Atribua responsabilidades: O P, com 4 anos, ajuda nas compras. Faço uma lista de compras com desenhos e ele vai buscar o que falta. Confesso que ele é muito mais eficiente do que eu a ir buscar à prateleira de baixo os produtos (pudera!!)
  7. Deixe-os pagar:  Deixe entregar o dinheiro ou cartões, fá-los sentir úteis e “crescidos”. Colocar os artigos no tapete rolante também é uma tarefa que eles executam muito bem (cuidado com os ovos e garrafas de vidro!)
  8. Ceda, apenas, algumas vezes: Sim, ceda. É bom dar de vez em quando um miminho, mas, nunca, no meio de uma birra.
  9. Tente perceber o porquê da birra: Ultimamente tenho tentado perceber o motivo que leva o P a fazer birra e as coisas têm corrido melhor. Percebo e dou a volta. Explico que não podemos comprar aquilo porque não acho apropriado ou porque simplesmente, não temos dinheiro. Proponho sempre uma alternativa construtiva. Nem sempre bem aceite, é certo. Quando quer um carro, por exemplo, e digo que não pode ser, pergunto se quando chegarmos a casa lhe posso dar uma moeda e coloca-la no mealheiro para juntar e depois, irmos então, comprar o carro. Normalmente acata e fica combinado. (Mas têm mesmo que honrar o compromisso!)
  10. Revele o lado humanitário das crianças: Em quase todos os hipermercados há alguma campanha de solidariedade. Empenhe as crianças nessas campanhas e verá que são muito mais generosas que alguns adultos.
  11. Entregas Online: Sim, há sempre esta hipótese. Tenho casos próximos de sucesso neste campo. Tenha é atenção que alguns produtos são bem mais caros neste serviço e que normalmente há taxas de entrega bem como taxas de sacos plásticos.
Foram úteis estas dicas?
O que fazem aí por casa?
Bea
Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.