[testemunho] Liberdade de gerar

Hoje comemora-se 42 anos de liberdade.

O voto, a igualdade de género, a liberdade de opinião, tudo foi conseguido por uma revolução que em vez de vermelha de sangue, foi inundada com vermelho de lindos cravos.

Passados estes 42 anos ainda muito se tem de afinar. Ainda temos tantas metas para chegar. Temos tantas outras para ajustar. Uma delas é a inseminação artificial. A possibilidade de uma mulher, que não encontra um homem ideal para ser pai (cuidador) de um filho: seja por não considerar que tenha encontrado “o amor” ou porque simplesmente não gosta de homens. Eu acho que devia ser um direito gerar.

Hoje comemora-se a liberdade, mas ainda não há uma completa liberdade. A liberdade é condicionada muitas vezes por causa de cifrões. E na liberdade de gerar, muitos cifrões estão implicados.

Amanhã conhecemos uma história de liberdade. Uma história de uma princesa que nasceu de uma Guerreira e que lutou mesmo contra todas as amarras da vida. E que foi preciso gastar uma poupança de uma vida para gerar.

Vejam. Amanhã, as 10h.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.