|modo: tentar não me passar com ninguém!|

Pelas 18h15 de cada dia entro neste modo. O modo de tentar ter a maior paciência do mundo para aguentar os miúdos. Eles vêm da escola exaustos e entre banhos, jantares, desenhos animados, puzzles começam sempre alguma birra ou algum choro sem razão aparente.

O P é um miúdo que normalmente não chora, até mesmo quando se magoa a sério, faz de tudo para não chorar. Eu, até o incentivo a fazê-lo quando precisa.

Um destes dias, após uma queda provocada pela distração dele, levantou-se logo e disse: “não me magoei!”. Acontece é que eu vi pelo olhar dele que se tinha magoado. Estava era com medo que o repreendesse. Na altura, dei-lhe um abraço e disse-lhe ao ouvido: “não faz mal se te magoaste, podes chorar que eu vou estar aqui!” Conclusão: começou logo a chorar.

O M é o peaceandlove total. Está sempre a sorrir e a brincar. Mas, é já senhor do seu nariz. Quer comer sozinho, e se alguém lhe enche uma colher, fica aborrecido (e chato!).

Então, ao final da tarde, cansados e sobretudo excitados por estarem em casa a brincar, junta-se a “fome e a vontade de comer”. Ou porque querem o mesmo brinquedo, ou porque o P não quer ver o Jake e o M quer ver, ou porque o M não quer que lhe dê a sopa, ou porque apenas, porque sim.

Choro, Amuos, Gritos, e eu… em modo: tentar não me passar com ninguém!

E, de repente, chega o pai! Thank God!

(nota mental: quando pensar num terceiro filho lembrar destes dias!)
(nota mental 2: isto irá passar um dia)
(nota mental 3: não dizer ao Pedro que tenho estas notas mentais!)

 

Artigo por Bea

Mulher, mãe de dois rapazes, apaixonada por flamingos e completamente chocoholic. Adora ler, dançar, comer e experimentar coisas novas.

Este Artigo tem 1 comentário
  1. […] dia-a-dia com crianças há situações de stress que tiram qualquer um do sério. Mas os momentos bons ultrapassam de todo os momentos menos bons. […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.